segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Sobre traição



Antes de pensar em trair o seu parceiro, olhe-o como um indivíduo,

Como uma pessoa que fez a escolha de estar ao seu lado;
Antes que seus olhos se cruzem aos de outro,
Recorde de como os seus olhos se encontraram aos dele,
E da preciosidade daquele momento.
Antes de começar a fazer algo que não possa ser público,
Ou que não possa falar abertamente ao seu parceiro,
Lembre-se de todos os segredos que compartilharam
E das noites de velhas memórias de outros tempos.
Antes que procure em outro alguém, algo que se perdeu,
Saiba que quem precisa de médico são os doentes
E que todos ficam doentes de vez em quando,
Você também.
Antes que precise sentir outros toques e aromas,
Pense em como é agradável um toque e um aroma verdadeiros,
E de como é confortável ser tocado e cheirado por quem ama.
Antes de mentir para alguém com quem divida todos os momentos,
Saiba que dividir todos os momentos não é para qualquer um.
Saiba que todos são magníficos nos primeiros encontros,
Mas que todos tem problemas que nos vão incomodar;
Que amor é escolha,
É plantação,
É trabalho árduo,
E que não se faz sozinho
Ou sem o outro.
Amor é contrato,
compromisso,
verdade, 
Doação,
Paciência,
E recompensa.
Há diversos tipos de relações,
E de amores. Mas se há um contrato,
Não traia. seja qual for. Ame verdadeiramente.
Ou liberte-se e liberte.






quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Mulheres Maravilhosas - Leiene Oliveira


Quantas mulheres maravilhosas nos rodeiam! Hoje é a vez da Leiene, uma mulher forte e sensível de olhos impactantes, mas não mais impactantes que sua personalidade e alma artística. Ela não espera, ela faz acontecer. Concordo plenamente com o seu recado deixado para as mulheres, em frente, mulherada!

1-    Qual o seu nome e idade e como gosta de ser chamada?

        Meu nome é Leiene,  tenho 26 anos. Tenho muitos apelidos pelo fato das pessoas acharem difícil a pronúncia do meu nome. Vamos lá: Lelé, lêlê, Lee, lé e branquela (meu irmão 😠 )

2-    Onde nasceu?

     Nasci em Ouro Preto, na antiga Santa Casa. Sou ouropretana com muito orgulho. Amo minha cidade.



3-    Como foi a sua infância? Quais as suas melhores e piores lembranças?

As minhas piores lembranças da infância vem da separação dos meus pais e das dificuldades que passamos após a separação. Momentos em que o dinheiro não chegava. Lembro como se fosse hoje, eu ajudando minha mãe a contar moedas para comprar um pacote de arroz para fazer algo de aniversario para meu irmão. Antes da separação tínhamos uma condição financeira muito boa, porém, com a separação, as coisas não ficaram nada agradáveis. Mesmo com muitas dificuldades financeiras e abalos emocionais a minha infância foi brindada com muita diversão, tenho muitos primos e todos os fins de semana subíamos para a casa da minha avó e lá a mala de imaginação e brincadeiras era aberta; sem dúvida esses foram os melhores momentos da minha infância. Brincávamos de pega-pega, salva latinha, esconde-esconde, cobra cega, queimada, rouba bandeira e muitas outras brincadeiras.



4-    Qual foi o seu primeiro trabalho?

Com a separação dos meus pais tive que amadurecer muito cedo.  Aos 14 anos de idade comecei a trabalhar como pré-vendedora de gás, mas antes disso cuidada das minhas primas e ganhava uns trocados da minha tia. Não me arrependo em momento nenhum desse amadurecimento  precoce, e sim agradeço todos os dias por toda a minha história até hoje.


5-    Com o que trabalha hoje?

Atualmente trabalho como Professora de Artes. Estou com planos para voltar a atuar e dançar em 2018.

6-    Qual a sua formação?

Sou formada em Artes Cênicas pela Universidade Federal De Ouro Preto.



7-    Quais as maiores loucuras que já fez?

Acho que só está faltando isso na minha vida... kkkk.... não consigo pensar em nada.

8-    Como é o seu relacionamento com a arte?

Arte é vida. Através da arte pude me conhecer melhor, conhecer minha cultura. Aprendi a enfrentar a vida, meus medos e aflições.


9-    Quais os seus planos para o futuro, profissionais e pessoais?

Na verdade ando meio perdida, kkkkk. Acho que é mais fácil falar o que não pretendo estar fazendo 😁. Não pretendo estar lecionando, pelo menos não no modelo atual (ultrapassado) de educação. O desejo de atuar permanece e junto dele, muitas viagens.

10- Qual a maior dor de sua vida?

Não consigo imaginar. As dores que tive foram de perdas de entes querido, mas não consigo ver a morte como algo destruidor, talvez seja por eu acreditar da doutrina kardecista.

11- E a maior alegria?

Foi a minha transformação como pessoa proporcionada pela vida acadêmica e o nascimento dos meus sobrinhos.



12- O que tem aprendido com suas experiências?

Que cada momento é único,  sendo assim, é preciso aproveitar cada segundo, isso é o melhor que podemos fazer por nós  e por quem amamos.

13- O que você pensa sobre o cenário político brasileiro?

Vergonhoso. Mas tenho esperança  que esse quadro mude.

14- Gostaria de deixar algum recado para as mulheres?

Mulheres, vocês são poderosas, guerreiras e de muita fibra. Ao invés  de criticarem umas as outras, unam-se. Vamos desconstruir essa historinha criada a anos de que temos que ser rivais. Vamos olhar uma pra outra com afeto. Vamos parar de “medir” e apontar os defeitos alheios. Vamos mudar essa cena de que mulheres juntas se matam, vamos “pagodear” como os homens fazem quando se reúnem. Juntas somos mais fortes. E na boa, somos muitos melhores que eles. Damos conta de milhares de coisas ao mesmo tempo. 😂😂😂. Tenho pra mim que, se fomos criadas depois do homem é porque Deus viu que o homem não ficou muito bom. Então ele nos criou. 😎Perfeitas 😎Maravilhosas😎





15- Qual o seu filme favorito?

O pianista.


16- Qual a sua música favorita?

A paz de Roupa Nova.


Algumas atuações:

menina Fada Postar





segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

A gente nasce sabendo?


Cansei de vomitar palavras freneticamente aos porcos que se supõem elite, pois embora eu as considerasse pérolas, como os porcos consideram o farelo que comem, percebi agora que também poderiam ser a lavagem da alma, que fora mastigada pela suposta maturidade. Quanto à refutação da teoria do determinismo, a que considerava que as pessoas nasciam já com determinadas características (negativas), tenho pensado muito sobre. Dizer que o individuo já nasce mal, ou egoísta, pode gerar uma série de consequências, deste a tentativa de manipulação genética até a desesperança da humanidade que culminaria em um caos depressivo e destrutivo. Dizer, também, que o homem não se desenvolve através do meio, não seria uma verdade, pois sabemos que somos fruto de todas as experiências, especialmente das vividas durante a infância, que se fixam em nosso ser como verdades absolutas e paradigmas. Mas, olhai os lírios dos campos....

A formiga cortadeira é uma fazendeira que leva as folhas para alimentar os fungos em suas cidades, fungo que só existe ali e do qual elas se alimentam. Não me venha com conversa de que elas observam as outras e aprendem, as formigas nascem sabendo o que fazer, como as abelhas em suas colmeias, os joão-de-barro, os salmões e as tartarugas marinhas, todos nascem sabendo. O que é isso? Animais já nascem com conhecimentos e características que precisam para manter a sobrevivência da espécie. O ser humanos não faz parte da natureza também, ou será que o seu cérebro o transformou em um semi-deus, ou extinguiu seus conhecimentos natos? Sei não.

Só sei que estou com  medo e nem sei por que comecei essa discussão inútil, como a maioria das discussões que existem por aí na internet. A situação que o mundo está vivenciando, especialmente o nosso país, é algo que nos leva a refletir sobre a suposta evolução da humanidade,e, até mesmo, sobre o conceito de evolução. Do que adianta filósofos criarem suas teorias e discussões se mesmo depois de duzentos, trezentos anos, a massa absoluta continua discutindo a mesma coisa? Com esse tipo de conhecimento, a gente não nasce. 

Chega.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Mulheres Maravilhosas - Andréia Lopes


Mais uma mulher arretada para completar  o nosso quadro de entrevistas. Andréia veio da Bahia e mostra que é uma mulher de verdade, mãe de quatro filhos lindos, assim como a mãe.

1 Qual o seu nome e como gosta de ser chamada?

Andréia Lopes. Algumas poucas pessoas me chamam de Andy, e eu gosto.

2 Onde e quando nasceu? 

Nasci em Campo Alegre de Lourdes-BA. No dia 19/05/1988.

3 Qual a sua escolaridade?

Ensino Superior Incompleto.

4 Como foi a sua infância e quais as maiores dificuldades dessa fase?

Foi tranquila, bem simples, mas bem feliz também, brincava muito, tinha muitos primos por perto. Brincava de roda, de correr, pular corda, de todas essas brincadeiras que estão morrendo, tomava banho de chuva, corria atrás de vagalumes ( inclusive meu sonho era ter um vagalume pra mim de estimação ).

A maior dificuldade nessa fase, foi não conhecer meu pai, não morar com minha mãe, ser criada pelos avós, e meu avô ser alcoólatra. Mas hoje tenho certeza, que meus avós foram os melhores pais do mundo.

5 Quando e por quê saiu de sua cidade natal?

Saí em 2003. Sempre fui muito sonhadora, a cidade pequena no sertão da Bahia não cabia meus sonhos. Amo minha cidade natal, mas cidade pequena como todos sabem tem poucas oportunidades, e pra quem não tem recursos, essas poucas oportunidades de limitam mais um pouco.

6 Quantos filhos você tem?

Quatro!!!

7 Como é ser mãe tão jovem de tantos filhos?

É um pouco assustador! Nos dias de hoje não é fácil, como todos sabem, tanto financeiramente como socialmente, as pessoas mudaram, o mundo mudou pra pior, infelizmente. Sem falar nas piadinhas " Nossa, animada heim", " Começou cedo né querida", "Vai encerrar agora" e blá blá blá... Mas é muito bom também, fui criada numa família grande, e sempre sonhei em ter alguns filhos rsrs... Não é fácil, mas é compensador. O famoso "padecer no paraíso" quem é mãe entende muito bem.

E sim o melhor de mim são meus filhos, são mais do que sonhei ou que imaginei na minha vida.

Ah!!!! E sim, encerrei!!! Kkkkkk




8 O que aprendeu com os relacionamentos vividos?

Que eu sou mais do que me fizeram pensar que eu fosse!!!
Que a vida é linda, não precisamos fazer dela um peso, uma carga.

9 Qual a sua profissão?

Secretária, Cabeleireira e maquiadora ( Quatro filhos não é moleza kkkkkkkk )

10 Quais eram os seus sonhos antes e quais são eles hoje?

Meus sonhos antes, eram ser bem sucedida, poder ajudar meus avós, retribuir um pouco do que eles fizeram por mim.

Hoje não mudou muito. Continuo sonhando com o sucesso, só que agora incluindo o sucesso dos filhotes também, ter uma casa na beira do mar, viajar dentro e fora do país, e muitos outros sonhos, uma eterna sonhadora como sempre.


11 O que tem aprendido com a maternidade?

O quão forte e frágil somos pelo mesmo motivo: filhos.
Forte ao ponto de encarar um leão por eles, frágil ao ponto de chorar junto numa noite de febre. Que maternidade é sim o ápice do amor, o estágio mais alto de amor que podemos sentir por alguém.

12 Quais a maiores loucuras que já fez na vida?

Se apaixonar por alguém de outro continente (Quem sabe um dia conto detalhes).
Sair de uma cidade pra outra pra viver um amor (que não foi amor, mas né gente, temos que ver pra crer)  valeu o aprendizado, aprendi que devemos levar pra vida o que nos faz crescer e esquecer o resto.


13 Onde você espera estar daqui a dez anos? 
Numa casinha na roça, ou numa casa de praia no sul do país, sei lá, sempre imagino assim. Vai que o pensamento atrai né. 😅😉

14 O que você acha da situação de nosso país hoje?

Lamentável. Não sou das melhores no quesito política, mas o nosso país precisa de ajuda, de ordem e progresso. As pessoas estão más. A ganância está destruindo não só nosso país, mas o mundo também, e, sinceramente, a esperança é bem pouca de que isso mude, mas acredito que o bem é maioria, e é possível sim, ter um país melhor.

15 Gostaria de deixar alguma mensagem para as mulheres?

Ame seus filhos, ame sua família, ame o mundo. Mas acima de tudo ame você mesmo. Você é incrível. Deus não perderia tempo criando algo tão extraordinário como você! E não deixe nada nem ninguém dizer o contrário.

Música favorita


No momento minha música favorita é: Era uma vez ( Kell Smith ). Mas em questão de músicas, não tenho favorita, a minha favorita muda de acordo com o dia a situação, a vibe.

O filme favorito é: Kites


É um filme indiano, não sei muitas informações técnicas. É uma mistura de romance, ação, suspense, drama. (Muito bom, super indico😉)

Beijão!


Participação no clipe de  Henrique Diaz

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Fogachos: Anúncio da decadência?


Eu gostaria de entender quais são os motivos que levaram "Deus", ou a natureza, a criar e desenvolver a mulher da maneira em que ela foi criada. Por que colocou em nós esses malditos hormônios multantes que nos martirizam durante toda a existência? Não poderíamos ter um organismo equilibrado como o dos homens e viver tranquilamente, já que somos as responsáveis por gerar a humanidade dentro de nossos corpos?

Começa o tormento na tenra idade, quando chega a primeira menstruação. O incomodo do sangramento é terrível, mas se fosse apenas isso, seria aceitável. A partir daí, transformamo-nos em seres de dor e tormento, alguns dias por mês. Cólicas infernais, desconforto, mudanças de humor. E assim vamos vivendo durante a nossa vida reprodutiva. Será castigo por não ficarmos mais o tempo todo grávidas como antes?

Deve ser por isso que a mulher tenha sempre sido um enigma para os homens, carregando adjetivos como bruxa, feiticeira, maluca, histérica, frígida, e por aí descendo ladeira abaixo. Então, quando você pensa que já está quase se acostumando a ser mulher, vem os fogachos.

Quando fiz 30 anos, vivenciei uma pequena crise. A crise dos 30 para as mulheres é real,  pois quando você atinge essa idade, você não é mais considerada jovem, pelo menos era o que pensava. Significava que os sonhos já não poderiam mais ser realizados e que eu teria que replanejar a minha vida e aceitar as limitações. Não ia mais dar para ser atriz de cinema internacional. Era hora de encarar a realidade. Foi dureza, mas passou. 

Os primeiros fios brancos começaram a aparecer há uns três anos. Por quê, Jesus? Nem comecei a viver ainda. O meu consolo é que as pessoas sempre me davam muitos anos a menos, isso era reconfortante. Até que senti um calor infernal no natal. 

Hoje estou com 41 anos, não era para ser época de pré menopausa (ao menos na minha cabeça). Ainda não tenho certeza de que estou, mas há indícios sólidos. Estava quente no natal, mas o calor que senti no peito parecia que ia me queimar inteira, nunca havia sentido como naquele dia. Grandes mudanças de humor, diminuição do período e por aí vai. Os sintomas descritos são terríveis, será que existe vida depois da menopausa? Não é em vão que culparam Eva pela danação humana, tinham que justificar tanto sofrimento. 

Segundo as informações, a situação da mulher decai vertiginosamente após a menopausa, a pele fica flácida e seca, tudo fica seco, muda libido, cai cabelo, acaba o viço, as unhas descamam, enfim, pode deitar e enterrar. Eu sempre digo aos meus filhos que tenho para sempre 18, será que a minha aparência irá se deteriorar na velocidade da luz agora? Será que conseguirei manter a sanidade e controlar todas essas mudanças físicas e psíquicas, logo nesse momento tão difícil em minha vida? Serei velha agora?