Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

The Green Mile - A espera de um milagre

Cena de Green Mile
Fred e Ginger _ Cheek to cheek

Conto V - Doce ilusão

Este conto foi um pedido de minha amiga Andréia, ela gostaria de ler uma história sobre uma jovem sonhadora e um amor improvável vivido pela Internet.

Era tão menina quando se casou, com a sua barriguinha guardando um anjinho  e um sorriso doce nos lábios, imaginando viver um grande amor... Aos 15 anos, Márcia acreditava em contos de fadas e príncipes encantados, e em Marcelo encontrou a imagem do cavaleiro destemido, pronto para salvá-las do dragão da solidão. Os anos correram depressa e a verdade insistiu em ir destruindo lentamente todos aqueles ideais,seu príncipe se mostrou como sempre fora: um homem comum e medíocre. Marcelo não tinha nada de especial, não era engraçado, não gostava de conversar, suas distrações se resumiam em futebol, TV e cerveja com os amigos, mas para Márcia isso era tão pequeno, tão pouco, tão desprovido de  dignidade, que ela foi perdendo totalmente o interesse em viver ao lado daquela pasmaceira. 
A filha foi crescendo e a vida não encontrou muitas variaçõe…

Protestinho

Eu fui na "onda" do Google Adsense e me inscrevi nessa tal monetização do blog e eis que todas as figuras que haviam, inclusive as minhas, foram transformadas em figuras pretas com um ponto de exclamação, até mesmo as minhas originais. Entendo que não posso monetizar com propriedade alheia, mas agora tenho que ficar editando as postagens antigas e retirando todas as figuras, resultado: O meu blog ficou pelado e seco.  Sem falar na dificuldade de editar um por um, por causa disto, os eventuais leitores não estranhem quando se depararem com este ponto de exclamação. Nem sei se quero monetizar com esse blog, e acho que quem cai aqui de para-quedas também não está a fim de clicar nestes anúncios, e o objetivo deste blog nada é além de ser um local de desague para o meu cérebro e coração. Falei.

Conto I_ As janelas do destino

É com muito prazer que venho dizer o meu primeiro conto da série "Um conto por meio conto"! Este foi a pedido de Cláudia Faria e a sua temática é sobre algo que vem acontecendo muito , aliás, sempre aconteceu desde que existe gente neste planeta, mas penso que vem sendo mais constante com o advento da internet:
"amor distante, mesmo perto, ao menos da alma; conflito amoroso, proibida e preconceituosa historia de amor "
Ele nunca imaginou que aquela noite inicialmente entediante, poderia mudar a sua vida... Muitas páginas foram visitadas na internet, sites de relacionamentos foram exaustivamente pesquisados  embora sempre que abertos mostrassem as mesmíssimas atualizações dos não diferentes amigos. Um anúncio lhe chamou a atenção e ele resolveu entrar em um novo site de bate-papo, tentar preencher o vazio que lhe destroçava o peito e a noite de sono.
Depois de tres conversas mais entediantes que a noite, resolveu que aquela seria a ultima tentativa e que depois daquela…

Conto II - Ninguém perde por notar

Essa sugestão veio do meu amigo português Zé de Oliveira:

Um conto sobre alguem que tinha um potencial enorme, e que podia fazer toda a diferença mas ninguém o levou a sério e todo o mundo perdeu com isso.
O pai estava sempre gritando com o menino, mas o tempo era curto, 12 horas no trabalho, mestrado e o escambal, como poderia sobrar tempo para ter paciência e prestar atenção ao filho? Era preciso saber mais, trabalhar mais para ter mais, para dar coisas ao filho e ensiná-lo como deveria ser um homem. Mas Julio não queria saber de gastar suas preciosas horas  em coisas tão enfadonhas como nas que o pai gastava, ele preferia inventar histórias e coisas, o que era muito mais proveitoso, divertido e dava mais sentido à uma vida pequenina.
Em uma noite igual a todas as outras, o pai chegou e em suas fuças estava escrito "Stress". Julio já estava acostumado àquelas letras e não deu importância, continuou montando a sua nave espacial de papelão e embalagens de produtos. Aquela invenç…

Conto III - Tanto amor pode matar

Este tema foi sugerido por Kelly, ela gostaria de ver um conto sobre drogas. Pra você, amiga!
É difícil saber onde erramos na educação de um filho, onde amamos de mais ou de menos, onde o sal foi mais abundante que o açúcar e por que certas escolhas foram feitas, mas o mais difícil é enfrentar aquele momento onde o nosso querido e amado bebê se transforma em uma pessoa desconhecida, em um agressor capaz de tudo para satisfazer as suas insatisfações. Tantas perguntas e acusações foram trocados entre os pais de Nataniel mas nenhuma resposta era satisfatória ou poderia resolver o grande problemas que se instalou naquele lar há alguns meses.
Nataniel sempre teve tudo o que quis, os melhores brinquedos, as melhores roupas, a melhor educação, mas Marly e Renato nunca foram fortes o bastantes para dizer o que não queriam ver, nunca foram claros com as suas regras, nem mesmo as tinham delimitadas dentro de sua casa. Só queriam dar amor incondicional ao seu único filho, tanto amor que ele se sen…

Conto IV - Os bons morrem jovens

Este tema foi sugerido por meu amigo Gustavo, o Guga. Ele queria uma história sobre um político honesto. Aqui vai! 

Quando os amiguinhos brigavam por alguma questão, Gustavo sempre tentava pesar os dois lados, ponderando, dando razão a quem achava que devia, buscava sempre a verdade justiceira, tanto que às vezes era difícil decifrar de que lado ele estava. Na verdade não estava de lado nenhum, ou melhor, estava do lado de todos, dos rejeitados e desvalidos. Aos 25 anos colocou na cabeça que queria ser vereador, iria contribuir para acabar com a sujeira que havia no governo de sua cidade, criaria leis para que houvesse maior transparência nas contas públicas, ajudaria aos mais necessitados, faria tudo o que ele sabe que se é possível fazer, mas ninguém faz.
Venceu as eleições graças aos votos das eleitoras, pois, neste mundo, aparência conta até no momento em que estamos decidindo o futuro de uma cidade. Ele não quis acreditar que este fosse o motivo de sua vitória, mas sim os ideais d…