Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

Sorte

Sorte...
Procuro uma resposta para justificar todos os acontecimentos que se desenrolam em minha vida, desde onde a minha memória é capaz de chegar, mas não sei se sou capaz de formular uma definição para os fatores que contribuem para o sucesso, a felicidade ou para os desastres que ocorrem em minha existência...

Considerando-me uma pessoa cética e que há muito teima em não aceitar justificativas baseadas em superstições, crenças sem fundamentos, costumes e "achismos", agora, por falta de explicações ou impelida pelos meus mais primitivos costumes, me vejo obrigada a levar em consideração algumas teorias populares, até mesmo por falta de outra melhor. Como posso explicar uma sequencia de acontecimentos estranhos que me vêm ocorrendo ultimamente?Bem, talvez "O Segredo " explique, talvez eu esteja atraindo certas "coisas" com a força do meu pensamento, mesmo que inconscientemete.

Na última quinta-feira me aconteceu algo muito estranho... Depois de um outro f…

Doces lembranças

Eu só pedi a Deus que alguém me acordasse com um leve beijo em uma manhã acinzentada, e que sorrindo, me olhasse com ternos olhos de quem admira o que vê, sem dúvidas e sem temores. Pedi a Deus que me guiasse, que o meu caminho não fosse tão árido, tão seco, tão sombrio...Eu sonhei em ser alguém melhor, e assim vivo, tentando ser sempre superior ao que fui ontem. Sonhei que teria recompensas se a todos tratasse com respeito e amor fraterno, se sempre lhes recebesse com um sorriso, e sempre lhes oferecesse a mão.

Quando menina, meus olhos enxergavam tão longe, longe até demais para as possibilidades! Eles viam doces lembranças do futuro, e serenas saudades do impossível. O mundo que viam era colorido por tons berrantes de euforia e de felicidade; outras vezes eram pasteis, de ternura incondicional...

Mas, ei, que chego no mundo avistado! E que cores vejo...Tristes cores desbotadas de tanto serem aguardadas, cores acinzentadas, e muitas vezes, completamente negras, como as asas de um morc…