Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Amor virtual - cuidados

O mundo evoluiu, seja lá o que se possa entender por "evolução", mas a verdade é que a "modernidade" trouxe algumas consequencias comportamentais algumas delas são o isolamento e o afastamento do convívio social. Precisamos ter pressa, trabalhar, estudar e cuidar da família, o que nos deixa com pouco tempo e paciência para devotar aos relacionamentos, mas o fato é que o ser humano pode nascer só (excluindo os gêmeos), mas para ele é muito difícil viver só. Precisamos de carinho, de atenção, de nos sentirmos importantes e únicos para alguém que consideremos especial, essa foi a mágica que Deus colocou nos seres  humanos. Como suprir nossas necessidades com tão pouco tempo e disposição? Internet!
Internet é o universo dentro de uma tela! Tudo o que se imaginar, todas as informações, conhecimento, se você for um bom pesquisador, podem ser encontrados na rede. Isso é maravilhoso, mas não é o que as pessoas passam mais tempo procurando. Aqui na internet, co…

Laranja podre

Eu até que me esforço em prender a minha atenção à teorias da literatura, chatíssimas e sem fundamento (ou utilidade, ao meu ver), mas depois das 22:00 horas, cansada de um dia de trabalho, depois de ter enrouquecido berrando com as crianças e de ter me indignado com muitas situações imutáveis dentro  das organizações humanas, e ainda por cima, de ter cozinhado, a minha mente não viaja muito além dos meus devaneios diários. Com certeza as pessoas acharão esse texto tão chato quanto as teorias literárias, mas o que eu posso fazer se é isso que me vem depois das 22:00 horas? Sento-me diante desta tela ouvindo "In this shirt" de "The irrepressibles" e vencida pelo cansaço e pela preguiça mental  me convenço de que é impossível que minha mente produza algo prestável. Não sei o que será de mim, pois o prazo está no fim e o meu desejo  é de nunca mais ouvir nada sobre Literatura Portuguesa, a não ser que eu não precise realizar nada com as informações.
Não, amigos, não é…