Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Qual o seu limite?

De tanto pregar e desejar a tolerância, fui me tornando intolerante, na visão de alguns; por desejar tanto que todos tivessem o direito de ser quem quiser, passei a desejar estar longe dos que não são como eu. Para os parâmetros atuais da maioria das minorias, tornei-me preconceituosa e moralista. Para outras minorias maiores, tornei-me louca.
Não há como viver sem parâmetros. Não há maneira de ser feliz sem assumir o que não gostamos, não podemos aceitar que tudo  e qualquer situação que nos machuque seja normal. Quando digo "aceitarmos que tudo seja normal", significa que precisamos estabelecer regras, comparações, níveis para o que podemos aceitar dentro de nossas vidas. Quando digo "aceitar", digo permitir que atinja o nosso ser. Quando digo permitir, quero dizer apenas escolher querer conviver ou não  com alguma situação que nos faça mal. 
Não temos o direito de aceitar ou não que o outro seja algo, ou haja de determinada forma. Não temos o direito de aceitar ou…

Que identidade?

Cada um é fruto de sua nascença e "crescença", ninguém consegue fugir totalmente do universo em que foi criado, do universo constituinte e constitutivo de seu próprio ser. Mesmo proferindo não possuir religião, gosto de dizer aos que amo "fica com Deus", "dorme com Deus" e sempre clamo por Nossa Senhora nos momentos difíceis, sem falar em Jesus. Não posso fugir de mim mesma, da minha cultura, ela está em mim, mesmo em minha não-aceitação, mesmo quando não consigo mais rezar a Ave-Maria sem pensar o quanto as palavras não fazem mais sentido para mim. 
Personalidade é algo que se constrói, e dela fazem parte elementos diversos, de variadas experiências que nos levaram a adotar um ou outro comportamento; dela também fazem parte o que vivenciamos como sendo o correto, o normal, o corriqueiro e único, como a visão de mundo que possuímos. A nossa visão de mundo nunca será a mesma que a de um indiano, por exemplo, pois tudo o que ele experimentou desde o nascimen…

Tolerância - II

Acreditar, segundo o dicionário do Aurélio, significa: Dar crédito a. 2 - Fazer criar crédito a.
3 - Abonar alguém.
4 - Autorizar junto de alguém.
5 - Crer, ter fé., segundo o mesmo dicionário:Adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro. 2 - Sentimento de quem acredita em determinadas ideias ou princípios religiosos.
3 - Religião, culto.
4 - Uma das virtudes teologais.
5 - Estado ou atitude de quem acredita ou tem esperança em algo.
6 - Fidelidade.Razão, dentre outros significados:O conjunto das faculdades intelectuais. 2 - Fonte do raciocínio.
3 - Capacidade para decidir, para formar juízo ou para agir de acordo com um pensamento.
4 - Comportamento ou pensamento que se considera justo, legítimo ou correto.
5 - Justiça, dever, equidade.
6 - Raciocínio que conduz a outro ou a uma conclusão.
7 - Aquilo que explica alguma coisa ou que faz com que algo exista ou aconteça.
8 - Prova, fundamento. Quando eu era criança, ouvi dizer que fé é crer sem precisar de…

Tolerância

Tolerância é a condição mais difícil de se assumir, mesmo quando um dos pilares da educação seja construído com os moldes da aceitação das diferenças. Até mesmo a certeza de que nada é certo, algo contraditório, mas plenamente usual, nos leva a assumir posturas intolerantes diante dos crédulos de terem encontrado a verdade. Todos os livros que possamos citar dentro de nossas afirmações, todas as pesquisas que possamos utilizar nas argumentações, são representantes dos avanços que a humanidade adquiriu, mas ainda estão longe, muito longe de serem a verdade absoluta, podem ser, no máximo, um apontamento para alguma direção, que ainda não tem destino certo .Se houvesse alguma verdade absoluta, ela não seria passível de contestação, nem tampouco, sofreria pela falta de provas.
Os seres humanos, mesmo quando não pensam serem os únicos pensantes no universo, sempre superestimam a própria humanidade e esse sistema de prazeres e de dores que criamos e no qual vivemos. Os extraterrestres e os a…

Amar é decisão

Amar é decisão. Decisão difícil, porque amar não é aquilo que acontece logo no início, mas aquilo que continua a acontecer depois que a paixão ardente das certezas se desvaneceu e as incertezas das revelações começam a chegar. Decidir amar acontece naquele momento em que a idealização termina e nos deparamos com a realidade de todo e qualquer ser humano, com as coisinhas irritantes do dia dia, com as grandes coisas que foram escamoteadas pela intensidade da paixão primeira. Decidir amar é pesar o bom e o ruim e escolher que o bom vença, pois é mais significativo; decidir amar, é tentar ver com os olhos do outro, e tentar minimizar a dor do outro sem que isso nos prejudique. Decidir amar é decidir por uma nova vida, com todos os ganhos e as perdas, como em qualquer situação que escolhamos. Decidir amar é abrir mão de sonhos que eram individualizantes e construir novos sonhos. Decidir amar é ter a capacidade de ao  menos perceber que as vezes é preciso tentar mudar a si mesmo e a abrir …