Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2017

Priorizar-se é doar-se

Aprendi a ser muitas coisas, e aprendo todos os dias. Estou aprendendo ainda a lidar com o outro e suas necessidades. Há alguns que tem maiores exigências e demandas, outros não. Mas o mais importante, aprendi que não é possível atender a todas as exigências dos outros, e nem é o meu dever. Não é meu dever suprir as carências dos que ainda não se desenvolveram, por que eu também tenho muitas carências e subdesenvolvimentos. Não é o meu fardo estar disponível para qualquer um que suponha merecer a minha disponibilidade, mesmo que eu queira.

A raposa disse que somos eternamente responsáveis por aqueles que cativamos. Justo, a partir do momento em que nos comprometemos. Compromisso quer dizer, Goste de mim, eu gostarei de você e vamos construir uma relação dessa forma, até que um de nós decidamos romper o contrato. 
Porém, há alguns que precisam demais e de coisas que o outro não se comprometeu a dar,  e nem deu liberdade para que fosse cobrado. Há pessoas que julgam possuir direitos sobre…

Há um monstro em mim todos os meses

Muitas vezes eu me recuso a aceitar que nós somos movidos apenas pela livre associação de hormônios, como se fôssemos algum tipo de máquina ou de poção mágica, que colocando um pouquinho de adrenalina e dosando com dopamina, estrogênio ou outro, podemos destruir o mundo ou aperfeiçoá-lo. Não quero aceitar que somos um amontoado de carne sem controle, personalizados por componentes químicos; porém, quando vejo ao longo de um mês as modificações que as mudanças hormonais causam em mim, penso que isso só pode ser obra do demo. Ainda não encontrei sentido para essa montanha russa de emoções que vivemos periodicamente, e que para muitas mulheres, quase faz acabar o mundo delas e dos outros.
Quando era mais nova, eu não acreditava que existia a tal da TPM, pensava ser tudo invenção. Depois que amadureci e passei a me conhecer melhor e a observar o meu ciclo, percebi que o troço é uma coisa de doido e é batata. São reações incontroláveis e muitas vezes, insuportáveis. Obviamente, as reações s…

Pensar demais

Acho que estou virando uma velha coroca e chata, e os meus textos estão cada vez mais chatos que eu, se é que isso seja possível. Não sou boa para escrever textos científicos ou cientificistas, prefiro tentar utilizar as palavras dando-lhes sensações e transmitindo sensações, sem que alguém precise se esforçar enquanto lê, e sem precisar colocar notinhas de rodapé e referências explicitas. Mas esse meu pensar e essas minhas sensações, e esse meu descobrir diário e ininterrupto, me levaram a pensar sobre a procura do ser humano pelo conhecimento. Parece que, na verdade, tudo o que tem a capa de científico é na verdade uma maneira de descrever ou reescrever algo que poderia, ou que, na verdade, consideram místico. Quando um pensador falou sobre a natureza humana, supôs que todos os seres humanos teriam algo incomum e dissociável de sua raça, uma essência natural. Existe algo mais poético que sugerir que algo possua uma essência, uma característica imutável que surge com cada ser? A essê…

Seres humanos: Interesses individuais ou coletivos?

O homem, na concepção antiga de humanidade, nem sempre se viu da mesma forma, nem sempre se sentiu do mesmo modo.  se no período clássico ele se via como parte do cosmo, na idade moderna passou a se ver como centro do mundo, e isso significou grandes mudanças e desenrolares (não estou bem certa sobre a palavra "avanços") de teorias sobre os diversos aspectos sobre a humanidade e a sociedade. Quem sou eu para ficar aqui divagando sobre questões filosóficas? Apenas uma mulher que possui rudimentos de conhecimentos e uma mente a mil por hora.
Pois bem, o homem descobriu a subjetividade de seu mundo, e o colocou aos seus pés e disposição; ele (o homem) não era mais uma parte de um todo, de uma natureza divina, mas era o ser que poderia moldar seu próprio universo. Apesar de já ter criado Deus à sua imagem há milhares de anos atrás, ainda se via  como um ser totalmente impotente diante da incontestabilidade dos desígnios desse Deus e de sua divindade. Na modernidade, passou a ser …