Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

Conto de fadas

Um dia o príncipe irá chutar-te E caindo do cavalo, despertarás Sentindo a pedra pontuda  Abrindo-te como um alicate; Levantarás a mão com os olhos n'água, Com a garganta assim, apertada De gritar por alguma ajuda, De pedir para que "não se afaste", Mas em resposta virá nada. Toda a certeza tão certa de ontem, Hoje é dor e dúvida cortante, É luz de lua apagada.

Uma mosca na aula de Linguística

A mosca verde estava enfadada de empestear os cachorrinhos da Faculdade de Letras e resolveu dar um rolê pelas salas e descobrir o que os jovens ripongas faziam dentro daquelas caixas calorentas e apertadas. Desceu no meio de uma aula de lingüística e pousou no beiral da janela para apreciar a discussão quase que filosófica. A professora magra, de óculos e pele clara tentava enfiar os conceitos Saussureanos sobre Signo Lingüístico nas jovens cabecinhas pensantes:
_ Então, gente, vocês entenderam o que é o signo lingüístico? Ele é composto pelo significante e pelo significado, um é a imagem acústica da palavra, é o som que está guardado em nossa cabeça, e o outro, o significado, é o conceito que aquela imagem acústica invoca. Vocês estão entendendo?
Silêncio. Uns olhavam o celular, outros fingiam que estavam em uma reflexão profunda, olhando para o nada absoluto, outros balançavam a cabeça como se tudo estivesse esclarecido, e a mosca dava um nó em seu pequenino cérebro. Uma aluna branca…

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor? 


Luis de Camões