sexta-feira, 17 de maio de 2013

Pimenta no dos outros é refresco

Parece que os assuntos Índia/Brasil não param de dar ibope aqui no meu blog, por isso,  em homenagem a este fato, resolvi falar brevemente sobre um aspecto humano, que tem tudo a ver com o envolvimento entre ocidente e oriente ou qualquer envolvimento humano: o egocentrismo.

A maior dificuldade que o ser humano enfrenta é a de aceitar as diferenças. Alguém me disse que todas as guerras do mundo são causadas pelas certezas e isto é verdade. Certeza de que a sua religião, cultura, modo de viver, país, ou seja lá que particularidade, seja a melhor ou a única verdadeira; esta certeza dá ao homem a chave que liga a ignição da intolerância e da condenação. Isso não é privilégio de uma ou outra nação, isso aconteceu, acontece e acontecerá em todos os lugares onde haja humanos.


As certezas geram o desrespeito que levam aos extremos, e nada é mais controverso e polêmico do que religião e seus símbolos. As pessoas deveriam ter em mente que não se pode brincar com o sagrado. O sagrado não está contido apenas na religião; o sagrado para cada um é o que esta pessoa tem de mais verdadeiro e íntimo, como sua casa, sua família, seus entes queridos. As certezas, como a visão política, o time de futebol e a religião são sagrados para muitas pessoas. Ninguém deveria invadir e profanar estes espaços. O que acontece é que muitos desconhecem este valor sagrado de alguns símbolos, ou, através de suas certezas, não se importam com o valor destes símbolos e o que a sua profanação podem representar; esse desrespeito gera conflitos incontroláveis.




Quando visitei uma igreja católica em Goa, na Índia, eu vi indianos olhando para a imagem de Jesus carregando a cruz, todo ensanguentado, achando aquilo sinistro e até mesmo engraçado. Elas riam. A minha amiga católica achou que aquilo era um grande desrespeito e ficou indignada, mas eu entendi que talvez aquela fosse a primeira vez em que aquelas pessoas estivessem vendo a imagem de Cristo. Para elas, aquilo não significava  nada e por que deveria significar? Por que para os cristãos é a única verdade? Aquilo não fazia parte da vida e da realidade daquelas pessoas.

Assim como Jesus, para a maioria dos indianos, não tem nenhum significado, para os ocidentais, os deuses hindus não passam de belas figuras exóticas e decorativas. Não sabemos de suas histórias, de seus poderes e dos valores que os indianos lhes atribuem. Estamos errados?

De qualquer forma, a humanidade precisa urgentemente aprender a respeitar o sagrado   dos outros, o que é difícil, considerando que as "certezas" continuarão norteando as ações das pessoas. Quem sabe, consigamos começar a construir a tolerância? Comecemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...