quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Ouro Preto: Campeã da bebedeira e da linguiça!


Há alguns anos atrás o Globo Repórter mostrou uma reportagem sobre os hábitos alimentares no Brasil e Ouro Preto se destacou na época pela alimentação oferecida pelas escolas municipais aos seus alunos. Muita coisa mudou desde então, mas ainda me recordo de um dado interessantíssimo que falava sobre o consumo da linguiça: Os ouropretanos são os maiores consumidores do produto, se me lembro bem, em relação a todo o Brasil! Hábito não muito saudável, pois todos sabemos do alto teor de gordura do produto. Lembrei-me também de uma pesquisa da qual fui selecionada para participar num período de dez anos ou mais, "Corações de Ouro Preto"; fiz exames de sangue pela universidade e nunca mais entraram em contato, não sei que fim levou tal pesquisa.

Outro título que recebemos recentemente foi o de possuir a universidade federal onde mais se consome alcool e tabaco. A fama de farrista de nossa cidade é conhecida de longa data, assim como inúmeros casos desagradáveis envolvendo drogas lícitas e ilícitas, com finais trágicos. O mais recente caso é o da Aline, que foi assassinada numa "Festa do doze", tradicional festa que acontece em 12 de Outubro em celebração ao aniversário da Escola de Minas. Bem, também é de conhecimento de muitos os trotes que aconteciam  em repúblicas estudantis, quando calouros eram obrigados a ingerir enormes quantidades de álcool até perderem os sentidos; essas práticas e muitas outras, algumas vezes, não tiveram um desfecho feliz.

Ouro Preto é uma cidade mineira, e como a maioria das cidades mineiras, é cercada por montanhas que limitam a nossa visão e nos deixam um certo sentimento de reclusão. O que a maioria alega é que faltam opção de lazer e citam a falta de praias, como se praia fosse sinônimo de opção de lazer que tira as pessoas do hábito de usar álcool. Se em Minas tivesse mar, tenho certeza de que os mineiros ficariam na praia regados à cerveja. É uma questão cultural que está enraizada em nossa gente. Quantos lares ouropretanos foram destruídos pelo álcool? Quantas pessoas sofreram traumas irreversíveis trazidos por este hábito cultivado como normal e necessário para que haja divertimento? Sem álcool, não existe diversão.

É triste ver que alguns alunos ainda festejaram o título recebido pela universidade, é triste ver como as pessoas banalizam as relações e as prioridades, e quais os parâmetros são usados para se medir a diversão, felicidade... É triste ver que para que as pessoas se sintam bem, elas precisam estar se embebedando o tempo todo... É triste ganhar este título, mas o mais triste é que as pessoas não vêem a importância do que se foi dito.

É, ao menos a linguiça prejudica diretamente apenas a quem a ingere... Viva a linguiça!

Um comentário:

  1. Pois é... estudam pra que? Quando se juntam perdem a individualidade e passam a viver os valores do grupo, estejam em conformidade com os próprios ou não! Tentam ser poderosos mostrando que se embriagam feito gambá. Ora ora... pq não vão a luta para batalhar o pão de cada dia pra ver se terão tempo ocioso!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...