segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Doces lembranças


Eu só pedi a Deus que alguém me acordasse com um leve beijo em uma manhã acinzentada, e que sorrindo, me olhasse com ternos olhos de quem admira o que vê, sem dúvidas e sem temores. Pedi a Deus que me guiasse, que o meu caminho não fosse tão árido, tão seco, tão sombrio...Eu sonhei em ser alguém melhor, e assim vivo, tentando ser sempre superior ao que fui ontem. Sonhei que teria recompensas se a todos tratasse com respeito e amor fraterno, se sempre lhes recebesse com um sorriso, e sempre lhes oferecesse a mão.


Quando menina, meus olhos enxergavam tão longe, longe até demais para as possibilidades! Eles viam doces lembranças do futuro, e serenas saudades do impossível. O mundo que viam era colorido por tons berrantes de euforia e de felicidade; outras vezes eram pasteis, de ternura incondicional...


Mas, ei, que chego no mundo avistado! E que cores vejo...Tristes cores desbotadas de tanto serem aguardadas, cores acinzentadas, e muitas vezes, completamente negras, como as asas de um morcego gigante sombreando as nossas cabeças! Esse morcego é horrível e cruel, suga o nosso sangue até ficarmos desbotados como as cores que nos aguardavam...


O que encontrei hoje? Não tenho olhos serenos a me observar com admiração, tenho olhos de um urubu que quer comer a minha carne, antes mesmo que eu morra! Os urubus me rodeiam com sua dança hipnótica, me enganam, me levam para o buraco do precípicio! E eu, várias vezes, senti as bicadas dessas aves famintas, mas a visão do passado me impelia a continuar crendo... E eu sempre acreditava.


Os urubus continuam arrancando os meus pedaços, continuam me levando para o penhasco, e todos os dias eu caio, e depois escalo as suas paredes de volta. A minha natureza é continuar acreditando que encontrarei uma Fênix, que me ensinará a renascer das cinzas e me trará, finalmente, paz...

2 comentários:

  1. Lu,
    Tão triste e ao mesmo tempo tão lindo...
    O mundo que idealizamos e o mundo que alcançamos é tão diferente, ou por outro lado, tantas vezes quando alcançamos não era nada daquilo que imaginávamos...por isso essa sensação que nos rodeia do inalcansável. Abraços. Adélia Carvalho

    ResponderExcluir
  2. Lu
    LIND0,TRISTE,REAL...
    Também me vejo assim...Por que o que imaginamos,sonhamos nunca é o que alcançamos?ou como disse Adélia Carvalho "quando alcançamos não era nada daquilo que imaginávamos...por isso essa sensação que nos rodeia do inalcansável."

    Abraços Cláudia [Ninha]

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...