Páginas

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Estou cansada de ser enganada!



Estou cansada de ser enganada!

Quando eu falo em casa que nada mais é como antigamente, não é uma hipérbole ou  uma metáfora, ou uma metáfora hiperbólica, é a verdade a olhos nus que ninguém mais quer ver! Olhai os lírios dos campos, pobres mortais!

Vejamos alguns exemplos:

Outro dia comprei um sorvete napolitano da Nestlé, tudo bem. Quando chegou, ele tinha um sabor estranho, a cremosidade era quente. Aconteceu um problema e o sorvete teve que ficar fora do congelador; o que aconteceu com o sorvete? Virou aquele líquido cremoso que tomamos como milkshake? Não senhor! Quando voltou para o congelador, o fundo ficou uma gosma transparente e petrificada e por cima, a espuma parecia chantili de isopor. Isso é sorvete? 

O açúcar, quando colocamos dentro da água quente, efervesce como se fosse bicarbonato. Dentro do pote, começam a aparecer pedrinhas brancas parecidas com farinha de trigo. Isso é açúcar puro de cana de açúcar?



Iogurte, é iogurte? No way! O iogurte nunca é iogurte, é soro de leite, com leite em pó, com leite reconstituído, com conservantes, acidulantes, aromatizantes, e tudo, menos leite e lactobacilos. Nem o iogurte grego é grego!

Outro dia fui comprar um chá de maçã, em casa li os ingredientes: hibisco, folhas de sei lá quê, e nada de maçã. O requeijão não é requeijão, é um troço feito com maisena (amido de milho). Lá em casa riem-se de mim, por que tudo que é ruim eu falo que tem maisena, fubá e TNT. Mas é verdade! Colocam fubá no pão francês e no queijo, amido de milho em tudo! E aquele TNT, que não é papel nem tecido, serve para forrar tudo o que é falsificado e ruim.

Na minha infância, o pão francês quase se bastava por si só. Comprava aquela baguete enorme, cortava os pedaços, passava manteiga, que coisa mais deliciosa! Hoje, o pão é um cocô. Quando não é feito de vento, é sem sabor nenhum, não tem crocância, é escuro, um horror!

As uvas são imortais! Vivem na geladeira por meses, dá medo de sair um monstrinho lá de dentro.O pimentão tem cheiro de veneno.

O tal do Quick? Esquecido, transformou-se em uma pedra nojenta de açúcar rosa choque. Sabe qual a porcentagem de suco que existe na tal da Fanta? Dizem que 5, sendo que um 1% é suco de maçã! Sabe aquele corante que colocam em tudo, iogurtes, doces e até na linguiça de sebo para que fique rosa, e que quando é frita deixa o óleo colorido? Dizem ser natural, e é natural mesmo, a cochonilha, uma espécie de pulgão. E os tais dos leites Parmalat e outros que continham diversos produtos químicos em sua formulação? Adulterados e adúlteros com seus consumidores! Nem vou falar dos tais nuggets.




Parece que ninguém percebeu que os bombons Sonho de Valsa e Serenata de Amor diminuíram (cartel), que as marcas Marilan e Aimorés também diminuíram os biscoitos e as quantidades deles, mas deixaram os pacotes do mesmo tamanho. E o Omo, uma vez aumentou o tamanho da caixa e destacou: Agora, 750 gramas! Eu pensei: Será que eram 700 gramas antes? Mascaramento de produto!

O pior disso tudo é que as crianças não sabem que estão sendo enganadas quando comem, por exemplo, um sorvete que não é sorvete, ou seja, uma coisa que se parece com sorvete. Para elas, não faz diferença se o doce de leite foi feito apenas com leite e açúcar ou se foi uma nova fórmula criada para imitar o doce de leite e lucrar mais. Um dia, vão experimentar abacaxi e dizer: Isso não tem gosto de abacaxi. Se o troço for doce, gorduroso ou salgado, agradará o paladar e não importará a origem. Triste ser enganado e gostar disso.

2 comentários:

Amanda Almeida disse...

Oi, tudo bem? Nossa concordo de mais com você. Esses dias reparei nas gramas das barras de chocolate que diminuiram. Ate aquela barrinha do laka tá pela metade. E as novas latas? Que perderam 40ml por ficarem mais altas, preço que e bom nada de diminuir. Daqui a pouco vamos comer isopor e vao jurar que aquilo é comida. Enfim, tá difícil viver.
Bjus,
Amanda Almeida
http://blog.amanda-almeida.com.br/

Mulher Alienígena disse...

Não é mesmo? Abraçao!

Postagem em destaque

A revolução começa em casa