quinta-feira, 8 de julho de 2010

A magia das fadas


Em 1917, duas garotinhas inglesas tiraram fotos para provar que realmente haviam fadas no vale de Cottingley, e o mais incrível é que todos acreditaram! Elsie Wright e Frances Griffiths enganaram todo o mundo com as suas incríveis fadas de papel. No início tudo era uma brincadeira, mas a história tomou proporções tão grandes, que as meninas só puderam desmentir  tudo já na velhice.

Qual o motivo que nos leva a acreditar em algo tão extraordinário? Por que nos cegamos diante das falsas evidências ? Por que preferimos a fantasia à já conhecida realidade?

Por que precisamos! Precisamos crer que há algo extraordinário e inexplicável em nossas vidas, precisamos crer em milagres! Precisamos imaginar que neste mundo há poderes desconhecidos, algo que possa influenciar magicamente nossos destinos!


Não será esse o papel do amor? Nos dar alento, sonhos, devaneios? Nos fazer sentir importantes, felizes, especiais, místicos? Sim! Esse também é um dos papéis do amor, da paixão, nos fazer crer que algo mágico acontece e que somos parte disso, de um milagre, que  se apresenta  a poucas pessoas. 


Precisamos de magia, de fé, de crer sem provas, de viajar nos sonhos, precisamos de milagres, de devaneios! Precisamos sair do concreto e ir para as nuvens! Precisamos de amor, mesmo que seja feito de papel e que depois se desmanche na chuva de verão.

Ver duendes e fadas faz bem ao coração.

4 comentários:

José Oliveira disse...

Ola Lu

Bem, não fazia ideia dessa História...e fiquei muito impressionado com as fotos, visto que a tecnologia de manipulação de imagem em 1917 não era muito evoluida...

a tua última frase é fantastica, acho que vai ser uma das que vai ficar por ca e nao vai cair em esquecimento ;)

O amor é por natureza abstracto e, citando uma vez mais o maestro António Vitorino de Almeida (tenho um video fantastico dele em que fala do amor, e mistura amor com música, se quiseres dou-te o link), "O amor é o mair de todos os sentimentos, é o único que pode mover o mundo; no polo oposto ao amor há outro sentimento que pode mover o mundo, que é o ódio, mas o amor é mais sólido porque não se subdivide, o ódio subdivide-se em inveja, mesquinhez, crueldade e outras coisas...o amor é Uno e por isso é mais forte ! "

eu diria que o amor é a nossa porta das traseiras para um mundo distante....eu, por exemplo, adoro raciocinios lógicos, matemáticas, ciências exactas mas admito....elas cansam....e o amor é a ponte que me permite uma fuga para um mundo mais fantastico, no qual me sinto sempre como um miudo de 12 anos, e sinto a incerteza, a paixão, e o mistério de algo que não é resolúvel através de uma equação....

o amor é vital para nós..sem ele endoidecia-mos...e curiosamente, o amor, sendo o antidoto que nos salva da insanidade, faz-nos sentir loucos por outro ser que, igualmente, procura a "porta das traseiras", a sua fuga para o surreal =D...

é a coisa mais fantástica que existe, sem dúvida..!

Bom post Lu, como sempre ;)
**

Lu Ferreira disse...

Legal essa história, né?
Isso foi o que aprendi quando trabalhava em uma biblioteca de escola pública, folheando aqueles livros antiquíssimos, hehe.

O que percebo é que não é possível se fugir da loucura! Na verdade, podemos viver na letargia, nos escondendo de nós mesmos, de nossos desejos, mas não seria esse o verdadeiro estado de loucura?

Bj!

Adélia Carvalho disse...

Acreditar nas verdades inventadas é coisa boa nessa vida de tanta realidade menos fantasiosa!
Adorei
E esse blog tá todo lindo, sumo um pouquinho e chego aqui e encontro essa lindeza!
Amei.
Abraços

Lu Ferreira disse...

Não some mais não, sinto sua falta!
Bj