Páginas

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Perdedor


Eu não ganhei na Mega sena,
Nem vou cantar com Paul McCartney,
Meu artigo não estava nas normas,
Os meus poemas não venceram o concurso.

O programa de pontos nunca existiu,
A Black Friday também não,
As passagens aéreas dobraram no fim,
Não ganhei na promoção do Epa.

Fizeram dancinha pro tal eleito,
Perderam todos os direitos,
E continuam dançando
Quando deviam estar chorando.

Falo grego com brasileiros,
As antas estão no poder;
Com anta não se dialoga,
Com anta, é só se foder.

Com que ânimo devo levantar-me e pegar no trabalho
Que parece ridículo diante de um universo desmoronante,
De uma geração perdida?

Enquanto isso, os zumbis comem, bebem, e dormem
Rindo-se sozinhos como dementes, junto a uma multidão
Que não sabe sair para comprar pão.

Humanidade patética, escrava, e pestilenta,
Que aos poucos se condena à extinção
Virulenta,
Podre, decrépita, fétida, com telefone na mão.





Nenhum comentário:

Postagem em destaque

A revolução começa em casa