quinta-feira, 29 de julho de 2010

Doce engodo


Esperei pela palavra certa
Até o fim,
Até o raiar do dia,
Mas a palavra calou-se.

Pensei achar a porta aberta,
Mas só em mim
Quase sempre existia
O olhar ainda tão doce.

O desejo inventou sentidos
Ao que nada dizia
e isso bastou-me.

Pobres olhos adormecidos,
Disfarçaram a sangria
Que quase matou-me.

Dê aos porcos, as migalhas!
Esmolas, jogue aos mendigos!
Muito ajuda quem não atrapalha.
Meu peito só quer abrigo.

3 comentários:

José Oliveira disse...

Fantástico Lu...Adoro o teu poder de escrita ;)

As duas últimas frases, são daquelas que vou memorizar com toda a certeza, e ao longo da vida vou citar-te, dizendo: "Um dia, uma pessoa bastante sábia que tive a oportunidade de conhecer disse que...."
e todos à minha volta vão sentir pena por não te conhecer ;)

é certo e sabido que existem mais marés que marinheiros. Mas és uma pessoa fantástica, acho que ninguém põe isso em causa, e com certeza irás encontrar o abrigo que procuras...todos preparamos o nosso engodo para atrair o que precisamos ;)

Espero que sejas MUITO FELIZ Lu..Do fundo do coração ;)

Lu Ferreira disse...

Oi, Zé!
A penúltima frase é um ditado popular, e nada mais sábio que os provérbios.

Obrigada por suas palavras, elas me aquecem o coração. Espero que tenha razão!

Bjs!

José Oliveira disse...

uii...estranho...não usamos esse ditado ca em portugal, nunca o tinha ouvido...mas sim, são repletos de sabedoria...=)

Vais ver que tenho razão.....=D

Beijinho *