terça-feira, 21 de junho de 2016

Ciúmes

Ele não a ama, mas a foto ainda está lá,
Mostrando o que foi, e queria ter sido,
Mas, não mais será.

Ele não ama a outra, mas ainda persistem
As palavras e doces apelidos
Que se riem e insistem.

Tantos são os "amores queridos",
Que sou mais um "amor querido"
Entre todas as queridas do mundo.

Um amor que, não dando certo,
Saem os pares de perto
Mesmo se dizendo "profundo".

De tanto amar, perco a razão
Mesmo estando com ela
Dentro de minhas mãos.

De tanta razão, perdes o tato
E não vês a sequela
Que advém  de cada fato.

Perdendo-me, perco tudo,
A paz, a razão, a sanidade, 
Sem fazer mistério.

Amando-me, esqueces tudo,
mas não esqueças a verdade,
E o critério.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...