quinta-feira, 26 de março de 2015

Os piolhos


Na tenra idade, diziam que eu tinha ombros largos demais e que meus pés eram tortos, como os das modelos quando paravam. Os moleques infernais chamavam-me testão brilhante, leoa, magricela. Houve uma época em que ter piolhos era normal, e eu tinha, muito. Eu via os piolhos andarem nas sobrancelhas de uns e escorrerem pelos pescoços dos outros. A vizinhança se reunia na catação de piolho, filhos entre as coxas das mães, fraldas brancas para aparar os insetos, pentes finos e unhas. Colocaram óleo com fubá na minha cabeça e de muitos outros, mas era uma epidemia.  Algumas mães colocavam Detefon, aquela latinha amarela com veneno em pó para pulgas, nada dava jeito. A infância dos anos 80 foi piolhenta.

Diziam que eu era um bicho do mato, cara de bunda, emburrada. Disseram também que eu era metida, pirracenta e nojenta. Eu liguei na época, mas agora, rio do alto da pirâmide.

Disseram que eu nunca conseguiria emprego e se conseguisse, não seria capaz de permanecer em um. Riram de mim, me mandaram tentar vender meus "romancinhos" e minhas "bonequinhas de pano". Disseram que queriam me ver no fundo de um buraco. Advertiram-me de que, por ser mulher, não seria capaz de sustentar minhas escolhas, muito menos meus filhos. Obrigada pela força, valeu!

Riram do meu cabelo anelado esvoaçante, dos pelos, das pernas finas. Riram-se de suas fraquezas, não das minhas. Eu não tinha fraquezas, não aquelas.

Os indianos pensaram que eu era uma indiana, e os portugueses disseram que não pareço ser brasileira. Os meus amigos mais loucos me chamam louca.

Riram-se de minhas loucuras até perderem a graça. Na verdade, riram-se todos deles mesmos, por não saírem de suas loucuras de sanidade. Riram-se até caírem os dentes, mas vieram às lágrimas quando perceberam que eu não era louca, mas era uma Mulher Alienígena. Só os piolhos eram os mesmos.


2 comentários:

  1. haha...os piolhos...muito eu.....
    riram das pernas finas....pernas de saracura.....olivia palito......vara de virar tripa (de porco pra fazer linguiça)....quando meu pai decidiu me enviar a cidade pra dar continuidade aos estudos(03 anos depois de muitas lágrimas) disseram que eram mais uma piri=(piriguete) o diploma seria um filho na barriga....disseram que não saberia nem mesmo atravessar uma rua (nisso tinham razão, tinha mesmo medo de tantos carros e gente...bicho do mato rsrs) atravessei a rua da minha vila como também atravessei as ruas da Tailândia e daqui a pouco estarei atravessando as de Cingapura....tah!!! hehe Deus é mais...I love you God!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixem-se rir, quem rir por último, ri melhor!

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...