segunda-feira, 27 de outubro de 2014

As eleições que mostraram a cara do Brasíl


Pela primeira vez na vida vejo o Brasil escancarar sua divisão ideológica, e o que vi me deixou mais perplexa e desanimada. Essas eleições foram as mais acaloradas e disputadas desde que me lembre, nunca vi eleitores defendendo tanto os seus candidatos.

Este ano foi um ano interessante, ano em que a população saiu às ruas por um protesto que começou por causa do aumento de 20 centavos no preço da passagem e continuou por motivos não muito bem delineados, como a corrupção. Eu sou a primeira a defender a mobilização, mas de cara percebi que essa falsa mobilização não tinha consistência alguma, não tinha reivindicações definidas, não tinham foco, tudo não passava de um modismo gerado também por uma certa inquietação da situação do país, que não é de hoje a mesma. Muitos me criticaram por eu não apoiar a mobilização como se eu não fosse uma brasileira e não tivesse orgulho do nosso país, mas como não criticar algo tão fraco e sem foco? Contra a corrupção, fome, pela saúde, educação, todos nós somos, mas quais são as reivindicações? Como negociar com uma massa que nem sabe direito o que quer? Impossível. Tudo não passou de um grande evento para postar fotos no Facebook.

O segundo turno das eleições trouxe dois candidatos, Dilma e Aécio, PT e PSDB. Eu não desejava nenhum dos dois, desejava uma mudança real no governo, mas foi entre eles que fui obrigada a escolher.

Dilma tem uma história interessante de vida, na juventude lutou contra a ditadura chegando a ser torturada. A esse episódio, os "contra-Dilma" acusaram-na de ter roubado banco, de ser comunista, terrorista e o diabo a quatro. Aliás, uma coisa que me chamou muita atenção nessa eleição e nessa pós eleição foram os argumentos utilizados para hostilizar a presidente: disseram que ela acabaria com o Brasil, que o Brasil precisa deixar de ser Cuba, e coisas do gênero. Aliás, um tal porto financiado pelo governo e construído em Cuba foi um dos ataque favoritos do candidato Aécio.

Quando é que o Brasil foi comunista? Eu acho que eu ainda não havia nascido. O que é o comunismo para que as pessoas se refiram a ele, assim como na época da ditadura, como uma ameaça terrível que irá destruir o nosso país?

Conhecemos a tentativa de comunismo em Cuba, Rússia, mas aquilo não foi o comunismo de acordo com suas bases teóricas. Apesar de não conhecer profundamente as teorias Marxistas, eu sei que o comunismo defende direitos iguais a todos; o que ocorreu nestes países foi algo semelhante a ditadura, o que escravizava o povo, e não o libertava. Na verdade, o comunismo como foi pensado não cabe mais em nosso mundo, se é que um dia coube. É necessário visualizar uma nova forma de administrar tudo o que chamamos de governo.

Quem é Aécio Neves? Neto de Tancredo Neves e por este nome se lançou no mundo político. Quem foi Tancredo Neves? Um político que representou o pedido do povo pelas eleições diretas, pois o povo não escolhia seu presidente até 1985. Ele venceu as eleições indiretas, o povo comemorou fervorosamente, mas ele morreu antes de poder governar. Quem foi Tancredo Neves na mente do povo? Uma promessa. Aécio Neves foi governador de Minas, deputado, mas sua ficha também não é imaculada. Há muitas publicações falando de seu uso de drogas, de sua manipulação da imprensa, chegando a demitir jornalistas, da construção de um aeroporto em terras de sua família com dinheiro público e do descaso com os professores mineiros, embora ele se vanglorie de que Minas Gerais tenha a melhor educação do Brasil. Não, ele e seu partido não são isentos de corrupção.

O mais engraçado de tudo isso é que quem defende Aécio Neves tem a mania de falar que os brasileiros querem continuar com a corrupção, que foram protestar por mudanças mas preferiram continuar na "merda",  que tudo isso é culpa dos nordestinos que preferiram continuar com o "Bolsa-esmola", que a elite de São Paulo, povo inteligente e culto que pensa, deve se unir e pedir o impeachment da Dilma...  O brasileiro de classe média finalmente mostrou a sua cara!

 
Reportagem do Jornal Nacional sobre a fome

O programa Bolsa-familia tirou o Brasil do mapa da fome. Bolsa familia nada mais é que um programa do governo, que Aécio teima em dizer que é um ideia que havia surgido no governo do PSDB, que distribui uma pequena quantia para familias de renda baixa, com a condição de que os filhos estejam matriculados em escolas e com o cartão de vacina em dia. A quantia é mínima e não permite que ninguém viva apenas disso, mas muitos sobrevivem. Há uns 15 anos atrás, no Brasil morriam milhares de pessoas por causa da fome, e não por que eram vagabundos, mas por que não tinham como ganhar dinheiro onde moravam e, devido a seca, não tinham como plantar para consumo, literalmente, não tinham o que fazer. Não podemos negar que algumas familias não precisam de Bolsa-familia, mas recebem o beneficio; há tambem familias que não querem saber de trabalhar, mas esses casos não são a maioria. Eu não entendo a acusação sobre os que recebem o benefícios, principalmente os nordestinos. Só quem teve um filho morrendo, olhou ao redor e não viu nada além de barro seco por quilômetros sem poder fazer nada, pode imaginar o que um real representa. O Bolsa-familia não é um problema, principalmente por que o beneficio esta vinculado ao desenvolvimento da criança desta familia, para que ela tenha um futuro melhor, então não me venham falar de Bolsa-familia como se fosse uma prática corruptiva, por que não é!

Abro a internet e vejo este video, não sei se vomito, não sei o que pensar. O preconceito e a intolerância estão estampados nas palavras dessa mulher, que provavelmente não sabe e não quer saber o que é pobreza. Na cabeça dela, Bolsa-familia traz a pobreza. Na verdade, ela não queria melhorar nada pra ninguém, ela queria apenas que as coisas continuassem como antes, que os pobres não pegassem avião, que os filhos de empregados não se sentassem ao seu lado na universidade. 

 Charge sobre o Bolsa Familia

Eu entrei na universidade pela primeira vez em 2001, e me lembro bem como era: Vestibulares concorridíssimos, nas universidades públicas, dificilmente entrava alguém da classe baixa. Havia o grande negócio dos cursinhos pré-vestibulares, que mais uma vez, só quem tinha um bom dinheiro podia pagar. A população de baixa renda, que já vinha de uma educação deficiente, não tinha condição de disputar com aqueles que sempre tiveram a melhor escola privada. Não havia bolsas como a bolsa permanência e transporte, o que foi um dos motivos pelos quais parei de estudar e fui desligada, após minha separação. Era um clube seleto que eu em tive a sorte de conseguir penetrar. Na verdade, entrar na faculdade no Brasil é festejado como se já fosse a formatura, só por este fato podemos perceber como as coisas funcionam.

Com o governo do PT, não podemos negar que a educação foi democratizada. Criaram sistemas de cotas para negros, para quem sempre estudou em escola publica, e ampliaram os benefícios estudantis. Confesso que a educação básica, a que considero mais importante, esteja um lixo, mas isso ainda é responsabilidade máxima dos municipios; confesso que sou a favor de cotas, mas apenas até que a questão historica que prejudicou os negros esteja superada, mas ninguém pode negar que as mudanças que aconteceram.

Fernando Henrique criou o Plano Real, e graças a essa moeda forte, a economia do Brasil se estabilizou e todas essas mudanças puderam acontecer. Vejo noticias, até mesmo de jornais internacionais falando sobre a pausa no crescimento econômico do Brasil e citam Índia e China. Mas o que levam em consideração neste crescimento é a quantidade de riqueza que entra no país, e nunca a qualidade de vida de seu povo ou a distribuição dessa renda. A China, por exemplo, pode ter uma das maiores economias, mas a população é escravizada, trabalha como louca, não tem espaço, não tem qualidade de vida. Isso é sinônimo de crescimento? Isso é sinônimo de qualidade? Talvez para aqueles que são empresários e querem continuar escravizando o povo.

Apenas por estes detalhes, votei em Dilma. Ela não tem a oratória nem a ironia de Aécio, ela tem um ar carrancudo, mas enquanto Aécio surfava, ela estava sendo torturada, não por ser terrorista, mas por não concordar com a ditadura. Foi no governo dela e de Lula que o povo pode subir um degrau, e eu também sou povo. Eu não votei em Aécio por que ele não é menos corrupto, mais certo, apesar de ser o mais bonitinho e simpático. Ele sim, de acordo com muitas noticias, teria manipulado a imprensa, ele sim, manipula o povo. Não me interessava um boneco que representasse essas pessoas que postam esse tipo de video na internet, os que sempre estiveram "acima".  Eu queria uma mudança de verdade, mas já que não foi possível, escolhi Dilma, por que, de certa forma, ela trouxe mudanças.

Porém, tudo está apenas começando. O nosso papel não é apenas eleger e ficar quietos, o nosso papel é acompanhar, reivindicar, lutar e começar a mudança em nós mesmos. Avante!




domingo, 12 de outubro de 2014

Desejo de partir


O ardor com que desejei o paraíso não é maior que a urgencia com que desejo partir,
Partir dessa dor que esmaga o peito insistentemente, que me diz que não há solução,
Partir dessa rotina que nada mais me diz a não ser sobre o que não posso mais ser,
Partir dessa existência em que nada mais existe além da dor de não mais existir.

O simples ato de abrir os olhos toma-me toda a energia e tira-me toda a lucidez;
As conveniências das convenções nada fazem além de afirmarem sobre suas inutilidades,
A luta pela sobrevivencia apenas me mostra que nada desejo e nada me apraz,
Nada tem conserto ou sentido, nada é verdadeiro ou real e de nada sei.

O que era a minha verdade, na verdade, jamais existiu ou existirá,
No fim de tudo, nada tenho e nada nunca tive, nada existe como pensei existir,
Na verdade, pessoas, coisas, realidades, sentimentos, tudo é relativo e tudo interesseiro,
Na verdade, nada é puro ou verdadeiramente forte, nada está em sua essência.

Quando abrimos os olhos e enxergamos que na verdade não existem verdades,
Que tudo o que vivemos, desejamos, sonhamos, eram apenas delírios individuais,
Que deixamos nosso destino deitado em algo frágil e condicionamos a felicidade a esse algo,
Percebemos que construimos nossa existência dentro de um castelo de areia na beira da praia.

Quando nada mais resta, quando não há mais ilusões e a dor tritura-nos ao simples respirar,
Quando é hora de aceitar a dureza e o cinza da verdade, temos apenas duas escolhas a fazer:
Desistir de lutar e sucumbir à dor alucinante da decepção que tudo e todos nos causaram,
Ou procurar um novo caminho onde essa nova verdade faça sentido e nos traga alguma paz.

Eu nunca  antes desejei tanto partir de tudo e de todos,
Mas não partirei para outro mundo, não ainda,
Partirei para uma nova realidade
Onde a dor da mentira não mais exista.
Amém.





LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...