segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Um motivo para se tornar vegetariano

Há algum tempo venho refletindo sobre a minha alimentação e sobre tudo o que colocamos em nosso corpo. Sempre fui contra drogas, cigarros e até mesmo bebida em exagero, pois conheço bem todos s males que tais substancias podem causar, não só ao corpo mas a toda sociedade.


Mudar hábitos enraizados em nós e nutridos como naturais desde que nascemos por toda a sociedade. É natural ver a avó estrangular uma galinha, golpear um porco e fazer festa com a carne, da mesma maneira como era natural para alguns indígenas brasileiros comerem a carne de seus bravos inimigos (humanos), com a esperança de conseguir suas boas qualidades. Quando estamos saboreando um prato feito com carne suculenta, nos esquecemos que aquilo vem de um cadáver de algum animal e de como aquele animal viveu até estar pronto para o abate, sem contar, de como foi realizado o abate.

Não é fácil parar de comer carne, toda a nossa culinária é baseada em carne. É uma decisão difícil, de difícil adaptação. Mas vejamos este vídeo e nos inspiremos a talvez levar uma vida sem explorar o sofrimento de outros seres viventes:


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Mais duas meninas se matam por terem suas intimidades expostas na internet

Mais duas meninas se matam por terem suas intimidades expostas por algum vagabundo, idiota, cachorro, sem vergonha, filho de uma égua em quem elas haviam confiado. Desculpem-me pelas palavras feias, mas me espanta como as mulheres ainda sofrem tais tipos de violência e acabam sendo acusadas de promiscuidade, de serem prostitutas, "mulheres fáceis",  apesar de, na verdade,  terem sido vítimas de alguém em quem confiaram.


 No último dia 10, a adolescente Júlia Rebeca, 17 anos, se matou enforcada com um fio de chapinha após ter tido o seu vídeo intimo espalhado e vendido pela internet; no dia 19, outra adolescente de 16 anos também se enforcou após sua foto ser divulgada nas redes.

Essa questão é muito profunda. Quem tem o direito de expor a intimidade de alguém com quem tenha compartilhado momentos íntimos e que tenha confiado e ele sua intimidade? Isso demonstra como a mulher ainda é vista em nossa sociedade, ela é mantida como um simples objeto de deleite, um brinquedinho que depois de ter sido usado serviria como troféu e prova de masculinidade. A mulher que tenha confiado seria uma prostituta que não mereceria respeito por ter confiado em quem não devia. É isso o que a mulher ainda é. O pior é que, ao invés de criarem leis que punam cruelmente esses monstros egoístas, mesquinhos e traidores, a sociedade e principalmente "a mulher" continua dizendo que a culpa foi delas, que elas não deveriam ter se exposto, como se cada uma dessas mulheres que apontam o dedo nunca tivesse transado com um vagabundo e feito o que aquelas meninas fizeram na intimidade, como se nunca tivessem feito um vídeo ou tivessem mantido um desejo secreto de fazê-lo, agem como se os homens estivessem com a razão de roubar o direito de dignidade e manchar para sempre a honra da mulher que decidiu compartilhar com ele.

É terrível que duas jovens perderam a vida por terem confiado em quem não deveriam, e foram julgadas por que fizeram o que tinham vontade de fazer com seus corpos, como todas fazem; o erro foi ter acreditado que as pessoas podem ser confiáveis e que elas já tem o mesmo direito que os homens, o direito de ser livre sem que isso significa perda de valor.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O primeiro encontro de uma tribo com o homem branco

O incrível primeiro encontro de uma tribo de Papua Nova Guiné com o homem branco, em 1976. É possível viajar no tempo e imaginar como foi o primeiro encontro de muitas civilizações e povos diferentes, o que infelizmente, nem sempre ou quase nunca acabou bem. É incrível ver a reação das pessoas da tribo, tocando na pele, nos cabelos, se assustando com os objetos, provando a comida. Vale a pena ver.

Clique na imagem para ver o vídeo


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Kalanchoe seca



Hoje é um novo dia, de um novo dia.
Uma nova era de de um "não sei quê"
Trazida embalada pela agonia
Ainda viva, sem nunca adormecer.
Nenhum vivente poderá compreender,
Ele também não haverá de sentir;
Brota pungente em meu ser
Algo que não se pode definir.
Uma dúvida eterna:
Por quê vieste para mim?
Rias enquanto eu chorava?
Enquanto eu esperava, vias meu fim?
Morria enquanto tu continuavas.
Kalanchoe que se viu despetalada
Ao ver o verão chegar
Rugosa, seca, sem vida, sem nada
Uma flor que se viu a se acabar.
Caminho agora sem saber onde chegar
Humana, já nem sei se continuo.
Uma dor que não vai se acabar.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Eu já fiz xixi na cama depois de velha

É vergonhoso, mas a verdade é que eu não me lembro de fazer xixi na cama quando criança, mas me lembro muito bem das vezes que fiz quando já estava bem crescidinha. Não venham me olhar com essa cara de nojo e torcer o nariz, por que se você ainda não fez, há grande possibilidade de que venha fazer. 


É uma besteira rotular alguém por ter urinado esporadicamente enquanto dormia, especialmente por que a pessoa não tinha total controle de seu organismo, estava dormindo! Qualquer um pode cometer esse deslize uma vez ou outra, eu tenho certeza.

A primeira vez eu devia ter uns 15 anos; eu estava com muita vontade de ir ao banheiro, mas fui dormir. Sonhei que estava em cima de uma laje e comecei fazer ali mesmo. Era uma sensação tão estranha, eu sentia que estava dormindo e que aquilo poderia ser um sonho, mas não pude controlar..
A segunda vez eu estava grávida, tinha uns vinte e poucos anos. Também sonhei, e a barriga gigantesca apertando a minha bexiga não ajudou. Vergonha.

A terceira vez eu já estava na casa dos 30, tomei muito liquido à noite, não fui ao banheiro, sonhei que estava lá e... 

Graças à Deus, ninguém nunca tinha ficado sabendo dessa façanha até hoje. Mas eu não me preocupo, pois sei que, como isso acontece de década em década, não pode ser considerado um problema, mas uma falta de cuidado antes de ir dormir. As pessoas tem medo de confessar coisas naturais, acho tudo uma bobagem, criar tabus e condenar os outros por coisas que acontecem com qualquer um e das quais ninguém tem controle. Obviamente, há intimidades inconfessáveis, porém muitos gostam de expor intimidades mas julgam os outros por confessar naturalidades.

Depois desses episódios, quando estou muito cansada e sonolenta e vou ao banheiro, tenho medo de que aquilo seja um sonho e esteja urinando na cama.  É algo terrível!

Há pessoas que realmente tem o problema da enurese, mas esse não é o meu caso. Ainda.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Por que as pessoas deletam amigos do Facebook?

O que você faria se um amigo o deletasse de sua conta do Facebook sem mais nem menos? 


O Facebook se tornou uma ferramenta em nossos dias e a sua população ativa cresce cada vez mais. Não é uma rede social destinada a adolescentes, o número de adultos  e de pessoas que estão passando dos 50 anos cresce rapidamente. É lá onde entramos em contato com os amigos distantes e até mesmo com os que estão dentro da própria casa.

 

_ Vamos marcar lá no Face!
_ Ei, Fulano, tem como me passar o trabalho de tal disciplina?
_ Ciclana, quem é aquele gatinho que está no seu Face?
_ Que foto foi aquela que você colocou no Face?
_ Você viu como Beltrana estava horrorosa naquela foto, crente que estava abafando! E o pior, todo o mundo comentando que estava linda, como esse povo é falso!
_ O que rolou lá no trampo hoje?
_ Fulano, não esquece de colocar a roupa no varal, hein!
_ Vamos marcar uma cervejada esse fim de semana? @Fulano, @Ciclano, @ Beltrano
_ Olha essa, do fundo do baú!
_ Como meu filho está bacana nessa foto, meus parabéns, está um pão!
_ (foto de casal) Feliz demais, te amo pra toda vida! 
_ Para um gatinho da sala, sem que ele saiba: O amor pode estar ao seu lado, pense nisso!
 _ Quem é essa vagabunda que está comentando a foto de Beltrano?
_ Olha, então Fulano disse que estava doente, mas estava de férias nas Bahamas!

A lista de utilidades comunicativas é infinita. Por este motivo, excluir alguém do Facebook  sem maiores explicações pode significar  muita coisa, especialmente para o excluído:


Significa que você não quer aquela pessoa em seu circulo de amigos virtuais ;
Significa que você não quer que aquela pessoa saiba sobre o que você faz no Facebook;
Significa que você não se interessa pelo que a pessoa faça ou deixe de fazer;
Significa que você não quer compartilhar as suas atualizações com aquela pessoa;
Significa que você não quer ter nenhum tipo de contato com ela;

Há algumas pessoas que deletam amigos por que querem  limpar a sua lista e, já que nunca tiveram maior contato com tal pessoa, e pensa que nem fará diferença para ela se for deletada. Há outros que começam a namorar e saem deletando todas as mulheres de sua lista, mesmo que sejam amigas reais de muitos anos; outros pegam raivinha sem quê nem por quê e deletam como forma de punição. Há os namoros terminados, quando a ultima e mais dolorosa decisão é o "deletamento" do amado, o corte de todo o contato e atualizações, a não ser que você tenha um fake estratégico para continuar fuçando.


De qualquer forma, dói ser deletado, por que o Facebook se tornou mais que uma ferramenta virtual; ele é hoje o espelho de nossas relações reais, isso se já não se tornou a realidade de nossas relações.


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Justin Bieber e Miley Cyrus: total crise de identidade

O que você faria se fosse jovem, tivesse o dinheiro não pudesse gastar sozinho, milhares de pessoas caindo aos seus pés, poder escolher com quem ficar entre esses  milhares, se você fosse amado, mimado e idolatrado como um rei desde a infância? Talvez o comportamento de Justin Bieber e Miley Cyrus possam nos mostrar o que ter tudo pode causar a um ser humano.

Miley Cyrus se tornou conhecida pela série Hannah Montana,com a personagem de mesmo nome, de cuja imagem tenta se desconectar utilizando para isso um comportamento extremamente oposto ao da imagem que a personagem veiculava. Recentemente, o seu videoclipe We Can't stop gerou grande polêmica, pois ela aparecia nua em cima de uma bola de demolição e em seguida, lambendo um martelo obscenamente; Bieber, que ficou famoso após seus vídeos serem descobertos no YouTube,  também gerou enorme polêmica em sua visita ao Brasil, pichando muros pela madrugada, contratado prostitutas, quebrando hotel, saindo do show após ser atingido por uma garrafa plástica, maltratando fãs e por aí vai. O garoto também  tenta se livrar da versão inicial de si mesmo, a de menininho fofinho e afeminado, como muitos ainda costumam achar. Ele tem um apelido "carinhoso" no Brasil, Justin "Biba".

O fato é que essas duas crianças/adolescentes crescidas piraram o cabeção. Sofrem de uma crise de identidade terrível, não querem mais serem vistos como menininhos fofinhos, mas extrapolam para o outro lado, abusando de sua rebeldia infundada. O mundo ao qual pertencem não é como o nosso, eles podem tudo, tem tudo e sofrem tudo. Talvez estejam à procura de um objetivo, de um sentido para a vida que parece não ter  nada mais a oferecer. 


Ter e ser tudo desde sempre pode fazer com que sintamos como se fôssemos um "nada", e transforme todo o resto em lixo.


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Sistema de cotas ou castas?



Desde que  começaram as discussões sobre a abertura de cotas para negros em universidades publicas, eu tenho me perguntado sobre o benefício e até mesmo sobre a ética de serem adotadas medidas deste tipo a fim de promover maior igualdade entre as pessoas da população brasileira. O sistema de cotas consiste em reservar uma porcentagem de número de vagas nas universidades públicas para as pessoas de origem africana, benefício que mais tarde foi expandido ou condicionado aos que tivessem concluído seus estudos integralmente em escolas públicas. Uma das justificativas para tal medida é a de que os negros sofreram muita discriminação pela história do Brasil e quando foram libertados da escravidão não tiveram nenhum apoio do país para que pudessem sobreviver dignamente, sendo jogados a sua própria sorte. Quando isso aconteceu, os grandes fazendeiros da época preferiram investir na propaganda de migração de estrangeiros para o Brasil, iludindo-os com o mito da terra prometida, a pagar salários aos seus antigos escravos.

É verdade que este fator histórico tenha comprometido as classes de pessoas de origem africana que foram escravizadas no Brasil, uma vez que, instalando-se uma condição subumana em que foram forçados a sobreviver, sem nenhum apoio do Estado, é extremamente difícil que se rompa o círculo vicioso da pobreza e o estigma que a escravidão lhes impôs. Porém, muitas questões devem ser consideradas quando lançamos a iniciativa de se reservar cotas para determinadas "minorias" ou "maiorias" ou qualquer grupo com quaisquer características no Brasil:


Como saber quem é afrodescendente?

O Brasil pode ser o país mais miscigenado do mundo e é extremamente difícil, senão por um exame de DNA, saber quem é afrodescendente ou não. Quando fazemos provas para vestibular, temos que nos autodeclarar negros, pardos e se somos oriundos de escola publica, isso significa que qualquer pessoa pode se considerar afrodescendente e concorrer as "vagas especiais", tornando a iniciativa inválida e sem cabimento.

E quanto às outras etnias que também tiveram a sua carga de prejuízo no Brasil?

Os africanos foram tratados como animais por muitos anos, o que hoje é totalmente intolerável. Porém, assim como os africanos, os povos nativos do Brasil, os índios, foram massacrados restando pouco da população original. Os italianos, os espanhóis, os holandeses, os japoneses, e tantos outros que espalharam descendentes pelo nosso país também sofreram e trabalham como escravos depois de terem vindo para o país com a promessa de vida nova. E quanto a estes?

O sistema de cotas não é por si só discriminatório?

reservar vagas para uma determinada categoria é uma medida discriminatória em todos sentidos, por que tende a privilegiar alguns em detrimento de outros, seja qual for a sua história; quer dizer também que talvez aquele determinado grupo não tenha a capacidade de concorrer com os outros sem privilégios, o que pode fazer sentido se levarmos em conta o círculo de privações ao que o grupo foi exposto, sem nenhum apoio para que pudesse quebrar as correntes que o prendem a uma condição desfavorecida. Porém, levando em conta que não há como definir origens sem um longo processo desconfortável e vexatório, nem mesmo considerando a cor da pele, o que também não seria uma forma "politicamente correta" de se agir, não seria essa medida arbitrária e que mascara reais problemas estruturais de nosso pais?

Antigamente, as pessoas que estudavam em escolas privadas tinham melhores condições e sempre levavam as vagas nas universidades, tanto que era difícil se ver alguém de Ouro Preto dentro da universidade Federal de Ouro Preto; hoje em dia, confesso que houve uma grande democratização e muitas pessoas de todos os níveis sociais estão ingressando na universidade pública, assim como em universidades particulares, através dos convênios e financiamentos estudantis promovidos pelo governo. Muita coisa está mudando neste sentido, mas ainda falta mudar na base; não é dando cotas para determinadas categorias que vamos conseguir sanar as desigualdades, mas, como já se foi bastante falado, oferecendo uma educação de qualidade desde os primeiros anos de vida do indivíduo, para todos os indivíduos.


Penso que é memorável a destinação da maior parte dos recursos do pré-sal para a educação, mas espero que este dinheiro vá, prioritariamente, para as escolas de ensino básico, pois é lá que estão as maiores desigualdades, e a maior pobreza; é lá que as crianças não tem uma merenda decente e os professores são totalmente desvalorizados pela população. É lá onde tudo começa e onde o caráter do individuo, o gosto e o hábito da pesquisa se formam, assim como o gosto pela reflexão. Todos somos brasileiros e TODOS deveríamos ter direito à mesma educação desde os primórdios, mas educação de qualidade. Penso que a cota para negros está sendo válida, mas não acho que deva ser uma medida perpétua.


A nossa "presidenta" está criando um projeto para criação de cotas, agora no serviço público. Há um medo de se questionar qualquer coisa que seja considerada politicamente correta, mas as pessoas não veem que essa medida é extremamente discriminatória. Precisamos colocar todos num mesmo patamar, por que, apesar da carga histórica existir, não vivemos mais lá! Precisamos de uma reforma geral que promova a igualdade de forma concreta, não de cotas. Então, que se criem as cotas para os asiáticos, os indígenas, os japoneses, os peruanos, as mulheres, e para todas as categorias marginalizadas pela historia, por que diferenciar grupos, talvez, não seja fazer justiça, mas criar afirmações para futuros privilégios, além de distanciar estes grupos de todos os outros.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um dia

Um dia os meus pés irão tocar
As pedras mais cinzentas do norte
E o meu corpo se banhará
No oceano de ondas fortes.

Eu ainda verei um eclipse solar
E cobrirei minha pele pela neve,
Tomando capuccino num bar
Até que a noite me leve.

Um dia o colorido me encantará
Fazendo cair uma lágrima,
Perfumes e azedumes daqui e de lá
Escreverão mais uma de minhas páginas.

Um dia ouvirão minhas gargalhadas
Quando o mais simples dos simples  me tocar
Acalmando as coisas afobadas
transformando tédio em voar.

Verei estrelas, o por do sol no oriente,
Navegarei pelos sete mares.
Verão minha face sorridente
Por fim, faremos nossos altares.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Filmes indianos online

Para quem é apaixonado pela cultura indiana e não sabe como assistir aos filmes ou não quer baixar ilegalmente para o computador, este site de Singapura é uma ótima opção. Você poderá assistir a filmes on line, assistir no seu Android ou baixar através de uma ferramenta oferecida pelo site. Spuul oferece gratuitamente alguns filmes indianos em alta qualidade, mas os lançamentos só serão vistos pelos que contratarem uma assinatura. Infelizmente, as legendas são em inglês, portanto o cinema indiano ainda ficará um pouco distante da grande massa brasileira.

 Yeah, Sharukh!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A Índia começa a mudar?

Eu sempre disse que a midia, seja lá por quais interesses, ainda tem um grande papel na transformação, na criação e na consolidação de novos conceitos, especialmente na Índia, onde as pessoas são loucas pelos filmes nacionais. Esta tradução de um artigo do Huffingtonpost nos mostra como as coisas são na Índia e como elas podem estar num bom caminho para mudança: 

Mulheres viúvas e divorciadas têm sido historicamente evitadas em algumas áreas da Índia. Imagine a surpresa da nação quando o joalheiro Tanishq celebrou o segundo casamento de uma mulher em seu novo comercial.No local (assista abaixo) está uma bela noiva em um momento lúdico com a filha após damas de honra a ajudarem a ajustar suas joias. Na cerimônia, vemos o noivo bonitão olhando amorosamente, tanto para a sua nova esposa quanto para a enteada .A menina se sente excluída durante os ritos de casamento, mas o padrasto a convida para se juntar a eles. Mais tarde, ela pergunta se pode chamá-lo de " papai".

 
 AdWeek diz que a Índia tem sido " hipnotizada" pelo anúncio. Empresários tem chamado o comercial de "revolucionário".

Tanishq é, possivelmente, o primeiro a introduzir um segundo casamento na publicidade indiana, Livemint escreveu.

Arun Iyer , diretor criativo nacional da agência de publicidade Lowe Lintas disse: " [ Espectadores ] podem até não estar passando pela mesma coisa em suas vidas, mas o anúncio traz uma proposta ousada e progressista e as pessoas gostam de ser associadas a marcas que trazem tais conceitos" .Observadores do YouTube aplaudiram o anúncio por quebrar tabus e pela  utilização de uma modelo com um tom de pele mais escura do que é habitual em comerciais de lá.Até mesmo um membro do parlamento entrou na conversa twittando a sua aprovação.

Nós dizemos que nunca é tarde demais para que sejam felizes para sempre.

Tomara!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...