domingo, 25 de agosto de 2013

Marcha das vadias em Ouro Preto


A moda agora é protestar, e cada uma protesta à sua maneira. Neste sábado, mulheres saíram com os seios à mostra em Ouro Preto para protestar contra o machismo, o preconceito e sei lá mais o quê. Quem me conhece sabe sobre a minha revolta contra todos os tipos de preconceitos e sobretudo contra o preconceito sofrido pelas mulheres pelo mundo, mas uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa.

Toda mulher, assim como qualquer pessoa, deveria ter o direito de usar o que quiser sem sofrer algum tipo de violência ou discriminação, seja uma minissaia ou o hijab (lenço utilizado pelas muçulmanas para cobrirem os cabelos). Mas qual é a linha que divide direitos e respeito, se é que há uma linha entre essas duas coisas, não necessariamente opostas?

A partir do momento em que você pensar ter direito de sair nu pela rua e que as pessoas devem aceitar esse modo de agir, talvez você devesse morar numa floresta cercada de animais, por que lá, essas questões não tem nenhum valor e não interferem na maneira como você se relaciona. Se uma mulher for à Arábia Saudita e não se cobrir por inteira, vai ser apedrejada até a morte, por que lá é assim que é, e é assim que as pessoas vivem. Isso está certo? Logicamente, não, mas para esta sociedade, a mulher não se cobrir por inteiro é um fato digno de morte, e se você quer ir até lá, precisa saber disso. Devemos lutar contra estas leis radicais? Sim, mas também devemos respeitar as regras sociais se quisermos ter algum espaço e sermos vistas com respeito. Queremos chocar e enfiar pela guela abaixo as nossas ideias? Isso funciona?

Cada um faz de seu corpo o que quiser, desde que não interfira na vida dos outros. Talvez você tenha vontade de fazer sexo no meio da praça, mas você fará isso só por que quer ter essa liberdade? Talvez você pense que as muçulmanas são infelizes, mas se elas não pensam desta forma, você vai obrigá-las a tirarem o véu e serem livres, da maneira que você pensa que é ser livre, mostrando os seios na praça? Isso é ser livre? Isso é ser justa e respeitar os direitos?

A grande dificuldade que enfrentamos é a de definir o que é certo ou errado na humanidade, por que simplesmente não há! Tudo é convencionado, todas as regras de convivência, até o amor é uma convenção, que sabe-se lá como surgiu! Simplesmente não há certo e errado, há o que machuca, o que fere, o que ofende, e se isso interfere na vida dos outros, não deveria ser praticado, isso se chama respeito. E respeito não se consegue com protestos vazios de palavras ainda mais vazias, com fotos no Facebook e com o dia seguinte na mesma e velha rotina. O respeito se conquista por uma luta diária, com metas, com reivindicações claras, e principalmente, respeitando e não ferindo ninguém de nenhuma maneira. O mundo só precisa de respeito!

Alguns  links no Facebook:   Foto retirada
                                                Em nome da moral e dos bons costumes
                                                Marcha das vadias - Ouro Preto
                                                Mais sobre o tema
                                                A culpa é sempre DELAS 

26 comentários:

  1. respeito a opinião e decisões dos outros,mas essa atitude da vergonha de ser mulher,nao vejo conquista nenhuma em expor o corpo

    ResponderExcluir
  2. Também não vejo conquista nenhuma expondo o corpo

    ResponderExcluir
  3. Exagero é esta matéria! As mulheres nao estao peladas, estao sem camisas. Claro que causa certo impacto, mas é exatamente para dizer que independente de como andam (menos ou mais vestidas) devem ser respeitadas como tais. Apoio o movimento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Não estar pelada", dependerá de que as vir. O meu filho viu essas fotos e disse:"Credo, essas mulheres não tem vergonha, e se tivesse criança vendo isso na rua?" Ele tem 9 anos.Eu concordo plenamente que a mulher deve ser respeitada de todas as maneiras, foi exatamente o que eu disse.
      Eu só penso que talvez certos "choques" sejam desnecessários e talvez não estejam sendo utilizados da forma e no momento certos. A maioria das grandes mulheres, as que conquistaram espaço, atenção e respeito, utilizaram a mente, não o corpo. Mudar regras sociais é fácil, mas deveríamos nos atentar sobre quais regras mudar; o direito de nos vestir como quisermos, liberdade sexual, tudo isso deve existir, sim! E no Brasil, não vejo muito essa condenação, muito pelo contrário, temos muita liberdade neste sentido. O que incomoda é o apelo sexual, a promiscuidade; ninguém deveria ser forçado a ser exposto a algo que causa mal estar, vergonha, como por exemplo, apelo sexual na tv enquanto estamos reunidos com a família. Nudez para nós significa sexo, sim! Isso causa mal estar, sim! e é onde vivemos. Quem sabe um dia evoluiremos para o nível indígena master, mas acho que no momento deveríamos nos preocupar em como ter o mesmo espaço que os homens e ter melhor qualidade de vida de um modo geral. Mas não tenho nada contra a quem quiser sair "meio pelada", afinal, estamos no Brasil e isso é possível! O carnaval que o diga.

      Excluir
  4. Texto infeliz, falso moralista e machista!
    A marcha surgiu (no Canadá) pra dizer: "Não importa como eu estou vestida, você não tem o direito de me estuprar. Você não tem direito sobre meu corpo." A nudez, nesse caso, é super pertinente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é ser machista? O que é ser feminista? O que é ser moralista? Com toda a certeza do mundo, este texto não é machista. Eu não penso que o homem seja superior, eu não penso que alguém deva ser estuprada se mostrar o seu corpo, eu não penso que a mulher deva ser dominada. Sou contra qualquer tipo de dominação e discriminação e sempre defendi o direito das mulheres. Sou contra todo o tipo de violência, e a nudez, assim como o sexo explícito, para algumas pessoas, pode sim, representar violência. Apesar deste protesto não caber muito em nosso país, em nossos tempos, pois a roupa que a mulher usa hoje em dia é o que menos importa nos casos de estupro ou de violência, que ocorrem e muito, contra a mulher e todas as outras classes, apesar disso tudo, não condeno quem fez ou fará parte. O país é livre e cada um se manifesta como quer.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Vocês sabem da lei do direto de imagem? Pois é, se eu quisesse, poderia ferrar vocês. Mas deixa que a vida já vai fazer isso por mim, já que, pelo jeito, vocês estão condenados a viver fechados no seu mundo machista e conservador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada senhora, suas fotos, seja lá quem você for, foram retiradas. Quem quiser ve-las, poderá ir até os links citados abaixo, com os quais não tenho nenhuma relação, se também não forem deletadas.

      Espanto me ao ver tanta agressividade. Pessoas que protestam por direitos, contra o machismo e a violência, não deveriam agir igual aos seus opressores. Em nenhum momento proferi xingamentos ou desejei mal às mulheres que acreditam nesta forma de protesto. Eu apenas não concordo. Respeite-me e não haja pior do que a quem você condena. O mau do mundo são as certezas, e as suas não são melhores do que as de seus opressores, pois a estão fazendo igualmente agressiva e preconceituosa.

      Excluir
  6. "Quem me conhece sabe sobre a minha revolta contra todos os tipos de preconceitos e sobretudo contra o preconceito sofrido pelas mulheres pelo mundo, mas uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa."

    É tão contraditório que não tem como levar a sério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez por que você acredite que haja apenas o preto e o branco. Talvez por que você pense que para ser respeitada, tenha que ser agressiva, chocar, enfrentar, gritar e não ser tudo o que tenha sido até agora; talvez por que ainda nós todas não saibamos definir o que é ser mulher. Ou talvez eu seja contraditória mesmo.

      Excluir
  7. Só passando para agradecer a publicidade da minha página... E a propósito, tinha SIM uma mãe lá na MARCHA COM UMA CRIANÇA e ela por acaso seria "menos mãe" por estar mostrando à sua criança que o RESPEITO deve ser empregado em tudo e por todos em qualquer circunstância que seja?? Por que a sociedade se espanta TANTO com mulheres sem camisa e acha tão normal homens sem camisa?? Os meus mamilos não são diferentes dos delas!! Então nesse quesito SIM, você está sendo machista, pois está julgando a "exposição" do feminino baseando-se em uma erotização ridícula e desnecessária... Nudez não significa SEXO... Nudez é nudez apenas... Sexo é sexo... Nenhum dos dois se iguala ao outro... O que causa o mal estar não é a nudez, é o preconceito, o machismo ainda latente... ISSO sim causa mal estar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus mamilos não são diferentes dos de ninguém, a não ser que o das mulheres podem amamentar, e os seus não. Pois bem, ande sem cuecas pelas ruas, você estará nu,isso não tem nada ver com sexo, é apenas nudez. Isso é certo? Isso é errado? Depende. Você se importa que isso choque e incomode? Isso é com você.

      Gostaria de viver em um mundo diferente, inocente, como em algumas velhas aldeias indígenas, mas nós não somos índios, ao menos não totalmente. Vivemos numa sociedade, e é por isso que existe essa marcha, para mudar as regras dessa sociedade. Se ninguém se importasse com essas regras, não precisaria haver esta luta. Sociedade implica regras. Você vai aceitá-las? Não? Isso é com você.

      Infelizmente, primeiro mude o conceito sobre qual é o papel do homem e qual o papel da mulher. Enquanto os homens continuarem enxergando as mulheres como objetos sexuais, nudez vai significar imediatamente sexo, assim como um simples tornozelo também, em outras culturas.

      Para mim, uma sociedade ideal não precisa implicar nudez, nem de homens nem de mulheres. Mas o que querem ficar nus tenham os seus espaços e os que não querem também.A nudez ainda choca, é onde vivemos. A nudez ainda diz sexo, é onde vivemos. E se não fosse asim, não existiria essa marcha, não é mesmo?

      Excluir
  8. Bom, vamos por pontos:

    1. Obrigado por divulgar minha page no facebook;

    2. Sim, tinha uma mãe lá com uma criança e estava achando LINDO o movimento;

    3. Sim, tem machismo explícito em seu texto, principalmente no que diz respeito aos PEITOS DE FORA... O que FODE nesse ponto é que, a sociedade acha REPULSIVO ver uma mulher se expondo de tal forma, mostrando os seios, mas não se espanta ao ver um homem sem camisa... Os meus mamilos então são diferentes dos de qualquer outra mulher? NÃO! O que nos difere nesse ponto é a erotização do feminino, a objetificação da mulher... Ao defender tal ponto de vista dizendo que NUDEZ significa SEXO, você está defendendo um discurso machista e assim, dando base para que a violência machista seja "justificada"... NUDEZ = NUDEZ... SEXO = SEXO... Apenas isso... Nenhum dos dois se iguala ao outro...

    4. Você DIZ ser contra discriminação, diz que apoia os direitos da mulher, mas quer limitá-los porque ainda há machismo latente em você? Desculpe, mas não consigo encontrar a coerência em suas palavras... Sabe como é né? Coerência costuma dar uma credibilidade maior a um pensamento quando este é exposto... E o mais irônico... É que se não fossem essas mulheres que mostram os seios e "não se respeitam", você não estaria no conforto de sua casa, redigindo esse texto para o seu blog... Enfim...

    #Só Acho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não preciso mostrar os meus peitos para ter o meu espaço, e não foram essas mulheres que me deram nada. As mulheres que poderiam ter me dado alguma coisa, usaram muitos artificios além de seus corpos. As mulheres a quem eu devo escreveram livros e manifestos. E devo a mim mesma, que enquanto estou aqui escrevendo esse comentário no meu conforto, tenho que cozinhar, ver a lição do meu filho, terminar um trabalho da faculdade e levantar amanhã cedo, estudar e trabalhar. Eu não sou moralista, meu caro, e nunca me subjuguei a nenhum homem, e nunca aceitei ser desrespeitada. Assim como não desrespeitei essas mulheres. Mas me diga, o que esse protesto vai mudar objetivamente? Quais as reivindicações práticas? Mais nuas do que as brasileiras já andam? afff

      Excluir
  9. Você inicia seu texto dizendo "Quem me conhece sabe sobre a minha revolta contra todos os tipos de preconceitos e sobretudo contra o preconceito sofrido pelas mulheres pelo mundo, mas uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa." porem esse é um dos textos mais preconceituosos que leio nos últimos tempos, obviamente demostra total falta de conhecimento sobre a história dos movimentos feministas e sobre as lutas por liberdade, estude e reflita mais para não cometer tamanho desserviço na próxima vez.

    ResponderExcluir
  10. a lei do atentado ao pudor ainda existe? Oh nãooooo,não existe pudor....
    ninguém conquista respeito desrespeitando famílias,crianças e até mesmo o corpo... mas o Brasil é assim mesmo,quem não tem ideias boas mostra o corpo,exibir/expor o corpo é mais fácil que expor boas ideias.... não vejo conquista nenhuma expondo o corpo

    ResponderExcluir
  11. o local de onde você tiro a foto tem a nossa autorização,para usar a imagem você não!Quando você diz que devemos aceitar as convenções sociais , é o mesmo que você dizer "VAMOS RESPEITAR E REPRODUZIR OS IDEAIS DO PATRIARCADO ".Moça você é machista, e estar criando o seu filho para ser um também!Lutar pelos nossos direitos não é uma vergonha,o semi nu é simplesmente uma estratégia,pois afinal nesses corpos além de seios tem mensagens políticas escritas. A MARCHA DAS VADIAS É UMA LUTA POLÍTICA!Vazio é a sua ignorância,é por pessoas que lutaram que foram vistas como LOUCAS E VADIAS que estamos aqui hoje.Graças a elas você pode votar,escolher com quem se casar,trabalhar.Muito me espanta você se (sentir chocada,aai que do! SQN)com o fato de ver seios e não se chocar com o fato de que A CADA 2 MINUTOS MORRE UMA MULHER VITIMA DE VIOLÊNCIA,EM QUE NA MAIORIA DOS CASOS ELA É DOMESTICA.Uma vida é bastante importante não é mesmo? Ou a moral e os bons costumes deve ser preservados a qualquer custo?A nossa luta é pela vida, é pelo direito a nossa luta é politica e se faz diariamente não somente em atos.O que não incomoda não tem repercussão, se estamos incomodando é porque estamos fazendo a coisa certa.E AAA QUANDO VOCÊ FALA A MODA AGORA É PROTESTAR COMO SE FOSSE ALGO RUIM,eu dou pulos de alegria porque vida VAZIA é reclamar em casa e não fazer nada.PARA O BEM DA NAÇÃO QUE ESSA MODA PEGUE !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcha das vadias, seja lá quem você for,

      Não fico parada dentro de casa, escrevendo, como insinua. Sua manifestação é legitima assim como a minha; agradeço às "loucas" do passado por sua luta e reconheço.Palavras nos corpos nus, tudo bem, o corpo é de vocês. Meu filho machista? JAMAIS! Protestar, apoio e participo, quando com fundamentos e reivindicações claras, isso é legítimo.
      O que é machismo?
      Segundo dicionário, machismo é a crença de que o homem seja superior à mulher. Em que momento eu disse isso? Se a nudez me incomoda, isso não está relacionado ao homem ou à mulher, mas de qualquer forma. Pensar que, por a mulher expor o seu corpo, qualquer um tenha o direito de violá-la, NUNCA E JAMAIS! Quando foi que sugeri isso? Ninguém tem o direito sobre outro ser, a não ser ele mesmo. Ninguém tem o direito de abusar de outrem por ele ser diferente. Como já disse, uma coisa é uma coisa e outra é outra. Concordo que essa seja uma maneira radical de expor o problema e de chamar a atenção. Mas nem por isso, tenho que concordar que seja a melhor maneira, e voce, agindo desta forma, está sendo preconceituoso(a). Ser feminista não é lutar contra os homens, não é ser como os homens, não é agredir, não é querer "enfiar certezas" nas cabeças dos outros. Ser feminista é se reconhecer como qualquer outro ser humano, com os mesmos direitos e deveres, com qualidades e limitações inerentes ao ser humano, mas o que não dá a nenhum outro o direito de violar, explorar ou subjugar com baseando-se nas diferenças. Mostre os seus seios ou o que quiser, mas respeite as opiniões alheias e não me ensine o que é feminismo.

      Excluir
  12. Luciana,


    Gostaria que você provasse que as mulheres que estavam na Marcha "expondo seus corpos" não escrevem nada, não se manifestam com textos. Que são menos inteligentes que você, que não fazem trampos da faculdade, que não tem filhos, não trabalham e etc. Sua visão é um bem umbilical neste ponto. Creio que a Marcha das Vadias tem certas problemáticas que devem ser discutidas, mas vc viajou legal na ideia de respeito. Não existe nada de errado num corpo nu. Esqueceu totalmente o contexto simbólico e social da Marcha. Qual o problema da mulher usar o corpo para se manifestar? Principalmente com questões que se relacionam com a corporeidade feminina, como a objetificação da mulher pela ideias machistas, cultura do estupro, aceitação do próprio corpo não padronizado. Quantas mulheres são vítimas de estupro e escutam coisas do tipo, "ah mas estava pedindo já que usava roupas curtas e etc."? Bem, creio que seria interessante refletir sobre essas questões tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele, já escrevi sobre isso anteriormente, e sei de tudo isso.
      Eu não conheço as mulheres que estavam se expondo e essa não é a questão. Não disse que elas não são inteligentíssimas, e eficientissimas, que não estudam e não tem família; não as condeno por mostrar o que é delas e muito menos por esta luta contra a violência contra a mulher.

      As pessoas tendem sempre a ser radicais, seja para um lado ou para o outro; quando alguém vai de contra os seus ideias, usam das mesmas armas, da agressividade e da violência; assim como não conheço aquelas mulheres, vocês também não sabem nada sobre a minha vida, a não ser o que deixo neste blog;

      Eu me sinto triste quando as pessoas dizem: "ela é feminista", insinuando não que seja uma lutadora pelos direitos de igualdade, mas no sentido de ser uma mulher que acha todos os argumentos para lutar contra os homens, e já me disseram isso. Ser feminista não é isso.

      A mulher não é igual ao homem, a mulher é mulher e o homem é o homem, e daí? diferença não quer dizer inferioridade,repressão e abuso, quer dizer que cada um tem suas peculiaridades.Graças à Deus, sou mulher, apesar de todos os problemas tipicamente femininos.

      Não condeno a marcha das vadias, mas assim como você disse, penso que deveria acontecer uma discussão sobre as estratégias, os objetivos, as reivindicações e ate mesmo a quem se dirigir. Nudez me incomoda, assim como incomoda a muitos, e daí?Esse é o mundo em que vivemos, da diversidade. Mas me incomodar, não quer dizer que condeno tais pessoas, que as critico, que acho que devam queimar no inferno, se eu acreditasse em alguma religião. Só me incomoda. E dai? A questão é: Isso vai resolver alguma coisa? Se sim, ótimo.

      Excluir
  13. É incrível como as mulheres se reúnem para atacar outras mulheres. Poderiam mostrar um outro ponto de vista, persuadir em seus ideais sem atacar quem pensa diferente. Tudo virou "machismo", e cuidado se você não pensar como elas!

    Concordo com a autora do blog em tudo o que escreveu. Eu quero ter o direito de andar com a cabeça coberta quando bem entender e andar com mini saia e colocar meu biquíni quando der vontade, sem sem sofrer preconceito em nenhuma situação. Por que sou mal vista até mesmo pelos próprios homens quando resolvo cobrir meu corpo? Por que me atacam quando a nudez me incomoda?

    Eu não gosto de ver seios à mostra da mesma forma que não quero ver nenhum homem nu balançando o peru no meio da rua reivindicando algum direito.

    Nos países asiáticos e do Oriente Médio os índices de estupro são altíssimos e as mulheres estão sempre cobertas da cabeça aos pés. Os estupros não estão relacionados ao modo da mulher se vestir, nem aqui, nem em qualquer país.

    A contradição já começa na condenação de quem não concorda com a nudez, ou seja, a mulher que anda coberta não apresenta nenhum risco de ser estuprada, já aquela que mostra o corpo corre maior risco, por isso deveria lutar pelos seus ideiais, quando sabemos que não é assim, todas correm o mesmo risco.

    Um estuprador tem perfil psicopático (portador de perversão sexual) e arruma desculpas para justificar o ato. Mas nós sabemos que na realidade ele não escolhe suas vítmas pela roupa. Mesmo quando estamos com o corpo coberto, nós temos medo. O estuprador se aproveita de oportunidades e delírios, é um crimonoso em potencial, cruel, sente prazer ao ver o sofrimento da vítima, é uma pessoa fria. Se não fosse assim todos os homens seriam estupradores.

    O que explica o fato de muitos homens não agirem de forma violenta diante de mulheres vestindo biquíni na praia?

    O que explica a pedofilia? Vamos sair com crianças nuas também? Isso mostra que um corpo nu não resolve diretamente o problema. Não é a aceitação da liberdade de mostrar o corpo que vai mudar a mente criminosa. Acredito que outras estratégias deveriam ser abordadas em conjunto.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São coisas tão complexas e conceitos que vão se tornando verdades absolutas, e quando alguém diz que não precisa ser exatamente dessa forma, parece que estamos cometendo uma heresia. Da mesma forma que os machista agem sem analisar, sem criticar, sem pensar, as pessoas que tomam qualquer partido radicalmente apenas por que é isso o que é considerado como o "correto", apedrejando os que pensam de forma diferente, estão agindo exatamente como seus opressores. Chega a ser engraçado.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...