segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Motivo


Não, pelos oceanos
Que a  imensidão desconhecida
Desconsola e consola,
Não é por causa do mar;

Não por dormires enquanto sonho,
Ou por andares enquanto adormeço
E dormindo acordo
Sonhando ao despertar;

Não pelo seu dizer peculiar,
Seu universo de palavras
Paralelo ao meu,
Mas se encontrando em um só lugar;

Não por teus Deuses diversos,
Quando Deuses não tenho,
E assim mesmo, juntos, quedamos
Levantando o mesmo olhar;

Não por que vimos mundos distintos,
E quando engatinhavas eu caminhava,
Ou por que termino e tu começas
Não por que hei de passar...

Não!

É por que dos meus sonhos, não compartilhais,
Pelo que espero, não esperais,
É por que te resignas,
Por que não és capaz de lutar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...