sábado, 25 de setembro de 2010

Não sou louca!


Algumas pessoa me chamam de louca, doida, maluca, pirada, lelé da cuca,  até eu mesma já cheguei a pensar nessa possibilidade por me achar tão perdida em certos momentos da vida. Tenho algumas características bastante irritantes, sobretudo para mim mesma, e isso sempre me deixou desanimada e intrigada. Mas eis que uma luz se abateu sobre os meus pensamentos!

Trabalhando em uma biblioteca tive contato com um livro que me esclareceu algumas dúvidas, esse livro era "Mentes inquietas" de Ana Beatriz Barbosa Silva. O livro trata sobre o Distúrbio do Deficit de Atenção (DDA), ou Transtorno de Deficit de tenção (TDA), e os sintomas descritos me fizeram ver que possivelmente eu tenho esse distúrbio.


No blog da minha amiga Aline Camargo, ela descreve os sintomas de quem tem  o TDA sem hiperatividade, um subtipo que geralmente acomete meninas. Eu os roubei  e os coloquei aqui, fazendo alguns comentários:


Infância

- na escola, são crianças quietas, tímidas e com dificuldades de socialização; (Não gosto nem de me lembrar dos meus primeiros anos de escola, e isso se estendeu até a adolescência)
- apresentam inteligência aguçada, porém têm problemas de rendimento por dificuldade de concentração; (Lua é o meu mundo)
- não concentram-se com facilidade nas aulas, às vezes não ouve o que o professor diz, perde-se em seus pensamentos; (Até hoje tenho que me esforçar e balançar os pensamentos que pousam na minha cabeça)
- têm dificuldades com algumas matérias específicas, principalmente as de exatas; ( Detesto, física, nunca aprendi)
- podem não querer ir à escola por se acharem incapazes; (Parei de estudar por duas vezes...)
- baixa auto-estima, sentem-se inferior aos colegas; (Sem comentários.)
- têm dificuldade de organizar trabalhos escolares; (Isso é normal)
- frequentemente perdem materiais escolares, livros, etc; (Perder, nem tanto, mas esquecer, hehe)
- esquecem de fazer deveres. (Ops!)

Idade adulta

- alterações de humor, alta irritabilidade (Confesso...)
- sentimentos intensos (Ô!)
- esquecimento de compromissos (Só de vez em quando...)
- constante perda de objetos (Algumas vezes, hehe)
- procrastinação (Sniff)
- dificuldade em ser pontual (Não espalha!)
- perdem-se em lugares conhecidos (Isso é verdade, não tem jeito)
- começam vários projetos ao mesmo tempo, não terminam nenhum (AHHHHHHHHHHHH!)
- dificuldade em concentrar-se em atividades que os desagradam, ou que os pressionam (SIM!)
- superconcentração em atividades que os agradam (SIM!)
- compulsividade, que pode traduzir-se em compulsão alimentar, vícios, etc. (Não sei...)
- depressão (Às vezes)
- dificuldades em manter-se em um mesmo emprego (Nem tanto)
- dificuldades em manter relacionamento estável (Hummm....)
- insegurança, que traduz-se em ciúme excessivo (Ahhhhhhh!)
- muitas ideias ao mesmo tempo, que tornam-se obssessões (Muitas idéias, obssessões, não sei...)

Acho que não tem jeito, tenho isso aí mesmo...

O bom é que, sabendo disso, temos como encontrar caminhos para podermos viver melhor e mais organizadamente. Estou tentando descobrir o meu jeito, e que Deus me ajude!

5 comentários:

  1. Oi, Luuuu!

    Nossa, que demais ler esse post. É um alívio encontrar pessoas como a gente, né? Nos entendemos!!!

    A cada dia descubro uma coisa diferente sobre esse universo TDA, e só me surpreendo. Mas, como vc disse, o bom de ter consciência disso tudo é que conseguimos procurar caminhos alternativos, rsrs...

    O mais legal é rir das nossas "TDAdices" e encarar tudo isso com muito humor. Do resto a gente dá conta! Rsrs... Hoje me dia tem até GPS, que maravilha, né?

    Quem sabe um dia não inventam um GPS prá TDA´s? Huahuahuah! De preferência que conseiga detectar os objetos perdidos, rsrs...

    Abração, querida!!!!

    ResponderExcluir
  2. 0i.Lú......
    Acobo de ler meu diagnostico.....[onde me enterno?]
    e por isso me cobrarei menos......[espero]
    encontrar caminhos para poder viver melhor´é o que mais preciso,mas perdi o mapa..kkkkkk.....

    Adorei.........
    Abração, querida!!!!

    ResponderExcluir
  3. Hello!

    bem, antes demais gostei do post. Mas, tenho de te contradizer =P....devo dizer que nunca pensei sequer em ter nada disso, e apesar disso tenho prai 80% dos pontos a favor disso.....alias, alguns em que respondeste como um "talvez" eu respondi um "sim, sem duvida"...e no entanto, tenho a certeza que não tenho essa o disturbio...como? não sei XD....mas é algo que sinto nao fazer parte de mim....
    eu acho que um diagnóstico deste calibre tem de ser executado por um profissional, e não baseado em perguntas que, grande parte delas, afectam toda a gente, uns mais outro menos, mas ng lhes escapa.

    Por outro lado, sempre te admirei pela pessoa que és, pelo que ja aprendi contigo, pela forma como escreves, pela forma como lutas na vida...se eu tivesse dois filhos, tivesse de trabalhar para os sustentar, duvido que ainda tivesse forças para estudar por exemplo! Es uma pessoa cheia de qualidades Lu!
    E independentemente de teres ou não o distúrbio, deixa lá...todos temos disturbios; uns com multidão, outros com álcool, outros com drogas, outros sexuais...whatever, conheces alguem 100% "Normal"? Normal é coisa que não existe, nem pode existir porque todos temos de ser especias à nossa maneira =D...

    Só te peço que não tentes lamentar ou justificar os teus fracassos...em vez de procurares respostas que os justifiquem, procura antes solções que te ajudem a superá-los =)

    Beijinho Lu, fica bem =)

    ResponderExcluir
  4. Lu Ferreira disse...

    Aline!

    Não é por acaso que o meu blog se chama Mulher Alienígena, sempre me senti assim, desde muito nova...Realmente é um alívio saber que as nossas "qualidades" não são meros defeitos de comportamento, preguiça, loucura, má vontade, incompetência, mas que realmente há algum motivo justo pra sermos do jeito que somos...

    Cláudia,

    Somos parecidas em muitos pontos, não sei se realmente temos esse DDA, mas ao menos nos entendemos bem, hehe.

    Zé!

    Obrigada por suas palavras amigas, elas sempre me fazem bem... Realmente esse diagnóstico preciso só os médicos podem nos dar. Tenho milhões de defeitos e saber que existe esse distúrbio e que o meu jeito tão desorganizado, desorientado, intenso e desastrado de ser não são meramente um desvio de caracter, ao menos me conforta. Não quero usar isso para justificar os meus fracassos, mas é bom enxergar claramente as minhas qualidades e tentar focar nas possibilidades de melhoria na qualidade de vida.

    Obrigada meus queridos, adoro que visitem o meu blog!

    ResponderExcluir
  5. Legal, Lu!!!

    Tô adorando te conhecer a cada dia!!!

    Você é realmente uma mulher alienígena... pq tem qualidades incomparáveis, coisas lindas de outro mundo!

    Abração!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...