quinta-feira, 1 de julho de 2010

Diálogo na cama


Maria Gaivota: _Estou tão feliz!

Zé Ruela:_Que bom, fico feliz também. Seja livre!

Maria Gaivota:_O que você quer dizer com essa, seja livre?

Zé Ruela:_Uai, nada, que você seja livre, como uma gaivota, he, he, he! Só quero que você seja feliz.

Maria Gaiovota:_Mas eu já sou feliz.

Zé Ruela:_Então, seja livre!

Maria Gaivota:_Eu também já sou livre. O que você está querendo dizer com isso, pode falar, eu não sou mais criança, eu aguento muito mais do que você possa imaginar.

Zé Ruela:_Está bem, depois não diga que eu fui rude!

Maria Gaivota:_Claro que não, você pode dizer o que quiser, livre como uma gaivota!

Zé Ruela:_Sabe o que é, é que estou vendo que você está querendo demais de mim! Eu não estou preparado pra isso, me desculpe!

Maria Gaivota:_Pra isso o qué, Ruela?

Zé Ruela:_Pra isso, relacionamento com você... Entendeu?

Maria Gaivota:_Uhum...Entendi.Você não está preparado pra ter um relacionamento "comigo"?

Zé Ruela:_É.Não quero que você fique triste, a gente se divertiu aqui, mas pra mim, pra casar, eu quero uma mulher que seja pura, sabe como é? E você é muito avançada pra mim, muito independente.

Maria Gaivota:_Você quer uma mulher que seja pura? Que seja dependente?

Zé Ruela:_Não é isso, Jesus! É por que você é quente demais, já teve experiências, sabe demais, não precisa de ninguém, acho que você não serve pra mim, entendeu.Todo o mundo diz que isso não tem futuro, e que você tem "passado".Eu gosto demais de você, mas não dá. Se você quiser, podemos ser amigos, e se sentir saudades, a gente pode brincar mais.

Maria Gaivota:_Você tem razão Ruela...Eu não sirvo pra você. Eu sou uma mulher experiente e que tenho a oferecer mais do que você deseja, eu não estarei com você por necessidade, mas por vontade, isso, talvez você não seja capaz de manejar. Sei coisas e não sou mais pura, sou impura, sou gasta, sou rodada. Obrigada pela esmola, mas, não, não preciso de um pau pra subir, preciso de um chinelo pra descansar meus pés.Vá e procure a sua pureza.

Zé Ruela:_ Mas a gente ainda pode continuar amigos?

Maria Gaivota:_Claro.

Zé Ruela:_Então, te vejo amanhã.

Maria Gaivota:_Melhor não, que tal, no ano que vem?

Zé Ruela entendeu a mensagem e saiu pra nunca mais voltar. Maria Gaivota ficou cada vez menos livre e sua pureza foi sendo minada a cada dia...A cada novo diálogo.

3 comentários:

  1. este é o tipo de coisas que nunca deviam ser ditas....aliás, nunca deviam ser sentidas...=S

    a parte que mais me xateou foi: "".Eu gosto demais de você, mas não dá. Se você quiser, podemos ser amigos, e se sentir saudades, a gente pode brincar mais."

    que lata...e saber que isso acontece todos os dias em todo o mundo...

    enfim... **

    ResponderExcluir
  2. É verdade, mas infelizmente há muitos Zé Ruelas no mundo...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Nossa que diálogo potente, Lu.
    Gostei da escrita. É teatral demais.
    E como é real, meu Deus, como estamos rodeadas de Zé Ruelas...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...