domingo, 28 de fevereiro de 2010

Preconceituosos: Vão catar coquinho!


Eu fazia aula de informática para aprimorar os meus conhecimentos e principalmente receber um certificado, pois sem ele é difícil que se comprove algo nesse mundo de meu Deus, embora eu tenha aprendido muito mais por mim mesma que no dito curso. A turma era bastante heterogênea, haviam estudantes entre 11 e 50 anos advindos de todos os lugares. A senhora de 50 anos ou mais era uma aluna extremamente irritante, nunca tinha  se sentado diante do computador e não sabia sequer digitar, sem falar das perguntas de 5 em 5 segundo. As aulas eram massantes! Mas o que mais me marcou e irritou não foi essa senhora, mas um menino que também participava do dito curso;o menino era negro e tinha os cabelos crespos,  era inteligente mas a frase que ele disse uma vez me chocou profundamente:

_Eu não gosto de preto, detesto preto!
Eu não conseguia compreender de onde viera aquele preconceito totalmente irracional, sendo que o menino era...negro!Talvez, por sua cor ser um pouco mais clara que a dos africanos ele não se considerasse um pertecente da mesma raça. Ficou claro para mim que esse preconceito tinha uma origem, e só poderia ter vindo de sua família.Nenhuma criança é capaz de declarar ódio a outro ser humano por um motivo desses, a não ser que tenha sido influênciado pela irracionalidade do ódio deste a mais tenra idade.

Por que  o ser humano tem essa tendência?  Desde que o homem inventou essa de  usar roupas e adereços, começaram os julgamentos. O que a pessoa veste, o que ela come, suas preferências, suas crenças, sua origem, a cor de sua pele, despertam nos outros diversos sentimentos, entre eles admiração, amor, rejeição e ódio. Mas por que o ódio? Por que o outro não tem o direito de simplesmente não ser igual a nós? Por que queremos destruir o que não somos? Por que nos irrita a diferença?


Temos o hábto de pré-ver os acontecimentos, de avaliar por resquícios de conhecimentos  que temos enraizados em nossas mentes, os quais nem sempre correspondem à realidade. Não queremos conhecer o outro, queremos lhe dar um julgamento e recolhê-lo a uma classificação qualquer, assim estamos confortáveis e somos donos da situação, não precisamos nos sentir ameaçados.

Isso é triste...É triste por que o respeito está em último lugar em nossos julgamentos. Em muitas comunidades o ódio está tão enraizado que a racionalidade não é mais possível, as certezas já estão estabelecidas. 

Lembro-me de uma história contada por minha professora de psicologia: Uma mulher evangélica recebeu de sua igreja as orientações sobre o que seria uma boa esposa: Cuidar muito bem da casa e dos filhos. A tal senhora teve 5 filhos, um após o outro, todos pequenos e não estava se sentindo capaz de cuidar bem de todos e de sua casa. Ela tinha a certeza de que todas as crianças que morriam iam para o céu, onde a vida era maravilhosa, então , com essas duas certezas em mãos, ela optou por matar alguns de seus filhos afogados em um lago, pois no céu eles estariam infinitamente melhor e ela poderia ser uma boa mulher. 

Se você fosse um homem-bomba e tivesse a certeza absoluta de que o seu dever é se explodir em nome de uma causa, e fazendo isso você encontraria um paraiso com nao sei quantas virgens lhe esperando, obviamente você se explodiria agora.

São as razões irracionais que são implantadas em nossos cérebros ao longo de nossas vidas.

Por que não temos forças para nos libertar das amarras, das vendas e enxergar o outro em suas qualidades e defeitos e simplesmente aceitá-los como partes de nós mesmo, da humanidade? Adoramos condenar sem ao menos conhecer todos os lados, sem clemência, sem perdão.

Respeito à humanidade! Nós adoramos destruir a nós mesmos. A causa de todo o caos na terra não é senão a falta de respeito aos nossos iguais, sim, por que somos iguais em direitos.Quem nos nomeou juízes de qualquer porcaria que seja? Quem nos concedeu poder de decidir o que é bom ou ruim, quem deve morrer ou viver? Quem foi que disse que a nossa maneira de ver e de viver é a certa? Quem nos dá a certeza absoluta de que o nosso Deus é o Deus certo, de que existe um Deus, senão a nossa fé, e fé é crer sem precisar de provas concretas? Ora, se ninguém na terra tem essas respostas muito bem documentadas, não me venham discriminar quem quer que seja baseando-se em adereços, que são o que tudo o que molda o ser humanos ao longo da vida é!

E vão catar coquinho! Acabei.


4 comentários:

  1. Nossa tenho muito a comentar,mas iria ficar maior que teu texto...rsrsrs....
    como sei o estrago que o preconseito causa...
    Por que não temos o direito de simplesmente não ser igual a maioria? me incluo no "ser dierente"...
    Um dia aprenderei manda-los a catar coquinho!

    ResponderExcluir
  2. Antonio Cesar Monteiro almeida diz:
    Seu texto e todo esse desabafo contido,também compartilho em gênero,número e grau....precisamos de uma remodelagem de DNA,porque isso que está aí é uma degenerescência de civilização.
    Felicidades e parabéns,isso deve ser levado a todos os recantos humanos,um trabalho árduo e precípuo,mas necessário!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo dia da Mulher,porque és uma mulher especial!

    ResponderExcluir
  4. Preconceito é mesmo algo irracional e concordo com você, muitas vezes a culpa está na raiz, na educação que deram àquele ser humano...
    É absurdo e infelizmente estamos rodeados disso.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...