terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Conselhos de amor


Alguns inventam belas palavras capazes de estremecer os mais duros e secos olhares e de convencê-los de que aquele conceito sobre o amor é o verdadeiro; Outros, escorados por vivências desastrosas ou menos glamourosas, insistem em contrapor tais conceitos nos esfregando algumas duras realidades em nossos pobres e esperançosos rostos. Qual desses dois grupos estaria certo, ou , qual desses conceitos se encaixaria melhor na maneira  em que escolhemos para viver nesse século? 

Ah, o amor...Mas que sentimento doentio! Ele nos faz sofrer e nos alfineta durante as 24 horas do dia, acordados ou dormindo (na realidade ficamos sempre dormentes)! Ou se trataria da paixão, essa doença que altera todo o nosso metabolismo? Alguns perdem a fome, sentem calafrios, outros comem demais, perdem o sono, fogem da realidade e revivem intensamente e repetidamente cada palavra, cada gesto e cada suposição, de maneira exaustiva.

Sim, paixão! Muitos distinguem esses sentimentos da seguinte forma: 

Paixão: Reação que uma pessoa passa a sofrer por outra de maneira incontrolável e inexplicável, onde ocorrem visiveis alterações corporais e químicas, fazendo com que esta pessoa venha a agir de maneira estranha a habitual.Quando a pessoa se encontra em estado de paixão, demosntra alguns sintomas de fixação e obcessão pelo objeto de paixão; sua pulsação se altera apenas com as lembranças de momentos, gestos, palavras ou suposições, é como se uma droga natural agisse sobre esta pessoa. Alguns dizem que esses efeitos prazerosos que a paixão produz tem um tempo de duração.

Amor: Sentimento consciente adquirido pela convivência, quando são formados os conceitos sobre a pessoa amada, baseados em admiração, companheirsmo e respeito. É o bem estar, a calma, o prazer de compartilhar, a serenidade e o desejo de estar juntos.

Para a maioria dos casais a paixão é o primeiro sentimento a ser despertado na relação, e como a paixão não é disparada por uma experiência racional, pode ter um tempo de duração bem curto, dependendo da personalidade de cada um.O amor pode vir com o tempo, se a admiração acompanhar o casal. Pode acontecer também que o amor venha antes, quando as duas pessoas tem uma convivencia proxima e passam a se perceber e a criar uma admiração mútua (ou não). Talvez a paixão venha, ou talvez vivam apenas o doce e terno amor.

O Amor foi criado e o seu conceito se modifica a cada geração, mas a verdade é que cada ser humano, seja de que continente, raça ou religião for, precisa desesperadamente de se sentir especial para alguém e deseja sentir esses efeitos maravilhosos trazidos pela paixão e pelo amor.Queremos os benefícios mas não que estes tenham um prazo de duração! Quremos que esses sentimentos sejam eternos e sempre pairem sobre nós com os seus louros.

A grande questão é: "Estamos preparados para um amor eterno? Para a monogamia?"

Penso que pairam inúmeras questões dentro destas.Primeiramente devemos saber que tipo de pessoa nós somos nos fazendo as perguntas: Sou uma pessoa calma ou gosto de festas? Sou uma pessoa que gosta da vida caseira? Sinto-me feliz estando em casa com a família, ou preciso sempre sair e ver pessoas e coisas diferentes? Sempre necessito de novidades no campo afetivo? O que mais valorizo, os momentos de intenso prazer ou uma vida inteita de compartilhamento? Gostaria de fazer sexo com a mesma pessoa pelo resto da vida ou prefiro ficar livre para experimentar novas experiências a todo o momento? Prefiro comemorações familiares as festas com amigos? O meu maior prazer é baseado em momentos sem compromisso ou em compartilhar momentos com quem eu tenha confiança?

Isso não quer dizer que uma pessoa deve ter apenas uma maneira de agir durante toda a sua vida, mas deve observar as suas preferencias e o que a faria feliz mais frequentemente. A maioria das pessoas gosta de passar momentos com a familia, assim como ter momentos para os amigos, mas devemos definir o nosso estilo de vida para saber quem somos dentro dos valores que pesam hoje em nossa sociedade e principalmente nos relacionamentos.

Feito uma auto-avaliação (coisa dificílima), penso que o próximo passo é saber o que gostaríamos de encontrar em uma pessoa, o que nos é insuportável e o que é irrelevante. Coisa mais difícil ainda, mas se conseguirmos saber o que não aceitaríamos de forma alguma, já nos dá muitas chances de acertar.Algumas questões seriam relevantes para se definir um parceiro mais adequado: A condição financeira dele é importante? A sua religião? Sua cor? Que tipo de relacionamento ele precisa ter com a família? Ele pode gostar de festas e de se divertir sozinho? ele tem que gostar e querer ter crianças? que papel eu farei em sua vida? O tipo de mulher que ele busca é compatível com a mulher que eu sou?

Falando isso parece fácil encontrar o amor ideal e os sentimentos prazerosos que a paixão e o amor nos trazem, mas um relacionamento entre duas pessoas não é feito só entre duas pessoas, ah não! A primeira coisa a saber é em que lugar você vive e como o relacionamento é visto dentro desta cultura. Se você vive no interior do Brasil, as pessoas vão esperar que você se porte de uma maneira diferente da maneira que você se portaria nos grandes centros. Agora, se você mora no Brasil e o seu amado mora na Índia, por exemplo, talvez você tenha alguns problemas, pois entre essas duas culturas existe uma diferença considerável. Você terá que saber sobre o que todos esperam de você, que conduta deverá ter e decidir se a vida com o seu amado é a vida que vai querer levar.

O amor também não é feito só de "I love you" e "sweet words", ah, não! Existe uma frase que diz: "Quando a fome entra pela porta, o amor sai pela janela." Então, será que devemos amar só os homens ricos que irão nos sustentar? Não exageremos.Graças à Deus a mulher trabalha e consegue o seu próprio sustento, não precisa de um "provedor".No entanto, um relacionamento pode não suportar as crises de stresse frequentes e duradouras,Tendo em vista que buscamos paz e prazer nos relacionamentos e que preocupações diárias com a própria subsistência estão longe de nos proporcionar esses sentimentos, alguns conflitos se avistam ao longe. Nesse caso entram as questões que devemos nos fazer sobre o que queremos e sobre o que somos capazes de suportar. Penso que quando dizemos amar uma pessoa, esse sentimento não se evaporare por uma crise, mas se a pessoa amada se mostra indiferente à situação que nos causa sofrimento, se não se esforça em tentar mudar, a admiração e o respeito irão para o espaço e junto com eles, o amor. É diferente viver ao lado de uma pessoa que luta para conseguir uma situação melhor e por isso comemos pão seco, de viver ao lado de outra pessoa que não está preocupada se amanhã termos pão seco para comer.

Gentileza sempre! Aquela velha história, tem que regar! Lembre-se de que todos nós queremos ser especiais, o tempo todo!Não dói dizer palavras agradáveis, ao contrário, só faz florescer em toda a parte coisas melhores ainda.

Respeito às diferenças! Cada um é um universo, devemos saber os nossos limites e o do outro.Nada de metade da laranja, cada um tem o seu mundo e quer estar junto pra compartilhar bons momentos.

Abra os seu olhos! Muitas vezes ficamos esperando um príncipe encantado(até hoje, aff), ou ficamos encarnada em uma idéia fracassada enquanto existem milhares de pessoas maravilhosas por esse mundo de meu Deus.Mas se as nossas portas estiverem fechadas, nada irá nos agradar e ninguém irá bater.

Seja verdadeiro! Joguinhos de amor cansam e machucam, ninguém gosta de ser um brinquedo.Porém, é bom ficar sempre com um pezinho atras e não entregar o ouro logo, por que aprendi que as pessoas não gostam do que está disponível, vai entender.

Sei lá, é isso e um pouco mais que estive pensando nesse últimos anos sobre o amor, a paixão e tudo o mais.Vi cada história, algumas felizes, graças à Deus, mas a maioria triste de amores fracassados, de pessoas que se entregaram a uma só paixão e deixou a vida para trás, de gente que fez péssimas escolhas e nunca fez nada pra mudar...Não sei se esses conselhos funcionam, a primeira que tem que levá-los a sério sou eu mesma.Só sei que o ser humanos precisa de amor, por ele vive, por ele se move e comove.





5 comentários:

  1. Lu,
    Acredito em tentativa e erro... No meu caso o q deu certo foi: 1o. achei a pessoa atraente; 2o. tinha conteúdo; 3o. decidimos fazer dar certo... e descobrimos que, olhe só, dependia somente de nós mesmos. Nossa intenção (já fazem 20 anos) é envelhecer juntos. Não paramos nunca de reciclar a nós mesmos e a todo resto...

    ResponderExcluir
  2. Legal, Nelza, tudo isso que eu falei aqui são coisas que penso agora, amanhã, nem sei mais...Também nem sei se é válido ou não, só gostaria de encontrar respostas, mas se fosse fácil eu escreveria um livro e ficaria rica.Que bom você teve sorte em encontrar na pessoa que lhe atraiu o conteúdo e a vontade de que desse certo! Espero que continue dando certo!!!
    Brigada pelo comentário!!

    ResponderExcluir
  3. Tomara ne se desarrumar agente arruma denovo, pois serviço de casa é assim mesmo rs!

    Não conheço não, eu sou Mayrink pois ganhei o direito deste nome pela minha vó ela era mayrink legitima, branquinha, ruiva e de olhos verdes, mais minha família de mayrinks anda meio afastada e se misturou muito, aqui em minha cidade tem uma outra família mayrink muito rica mais eu não faço parte dela, bom segundo o livro de brasão que tenho aqui em casa todos são parentes mais umas se desagregaram ao longo do tempo, não conheço o seu amigo, um abraço e obrigado pela visita sempre sera bem vinda ;)

    ResponderExcluir
  4. Lu, acho que são essas e tantas outras questões que fazem ou não o amor dar certo e muitas vezes, em certas circunstâncias, a pessoa pode ter tudo para ser a pessoa mais errada para amar e, de repente, pode ser a pessoa mais certa, com certeza o contrário acontece mais ainda. Mas a verdade é que o amor e a paixão são do ser humano, vão tortura-lo ou abençoa-lo por toda a vida, não há como fugir, mesmo para quem acredita que está fazendo isso! Abraços. Feliz ano novo!!!

    ResponderExcluir
  5. Gostei das suas abordagens referentes ao tema analógo,visto que todos os humanos são carentes por si mesmos e necessitam de interatividade gregária,fazendo emergir disso um Ser mais vistoso,mais harmonioso e solidário;enfim tudo de que precisamos para sermos felizes,essas questões dão e geram pano para muita manga.Felicidades Luciana!
    Assinado:yo-gue@hotmail.com
    Antonio Cesar Monteiro Almeida
    E que o Amor e suas conectividades sempre prevaleçam neste mundo de guerras e sofrimentos.....

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...