domingo, 28 de dezembro de 2008

As mulheres são de marte e os homens...


Angustiada e desolada, há um bom tempo atrás, perguntei a um amigo, supondo que por ser homem pudesse esclarecer-me alguns mistérios comportamentais do gênero masculino, sobre a possibilidade da existência de um "cara" que aceitasse o relacionamento amoroso como algo sério, definitivo e digno de esforços diários para a sua manutenção. A resposta que obtive me foi desoladora: "_Para com isso, isso não existe minha filha! A não ser que você encontre um desses rapazes novinhos que nunca saiu de casa e não conhece as tentações do mundo. se você quiser, eu te apresento um amigo meu, crente, novinho, ele tá doidinho pra encontrar o grande amor da vida dele! Para com isso, minha amiga, pessoa romântica só leva ferro." Depois dessa fui obrigada a cavar mais fundo o meu poço.

Passado algum tempo, encontrei um velho conhecido da faculdade, ele é um estudioso das Letras, da Ciência, da Neurociência e do Diabo a Quatro, e ele me falou sobre algumas teorias evolucionistas e sobre algumas pesquisas feitas, tendo como base a observação comportamental de algumas espécies de macaco. Com base nessas pesquisas se concluiu que o homem é geneticamente programado para ter várias parceiras sexuais, a fim de espalharem e garantirem a sobrevivência de seu genes.Já as mulheres são mais seletivas, pois engravidam uma só vez por ano e arcam com o ônus dessa gravidez. Muito mal resumidamente é isso. Ele falou dessa nova onda de liberação moral e sexual em que estamos vivendo e a teoria do poliamor, que seria a capacidade de amar várias pessoas ao mesmo tempo. A conclusão disso tudo, é que, apesar de os nossos genes estarem programados dessa forma, nós não somos animais que se guiam por impulsos, somos seres humanos! E depois de fazermos sexo, queremos ter o prazer de continuar ao lado da pessoa a quem julgamos especial, queremos lhe contar os nossos segredos, queremos chorar, dar gargalhadas e fazer guerra de travesseiro com essa pessoa especial. Será possível se ter várias pessoas especiais dessa forma?




Há também alguns outros que realmente nunca conseguiriam ser felizes em um relacionamento monogâmico, não sei se é uma questão genética ou cultura, mas o caso é que é um fato. Fiquei feliz por conhecer um cara tão inteligente e que compartilha da mesma opnião que eu, a de que não sei ser feliz dividida e aos pedaços, só sei ser feliz inteira, todinha e intensamente.Bem que eu gostaria de me contentar com os prazeres efêmeros e concentrar a minha busca nessas felicidades rápidas, tudo seria tão mais fácil! Nunca me envolver e nunca esperar nada de ninguém, apenas o que essa pessoa teria a me oferecer naquele momento. Mas, sou uma romântica idiota. Estou sempre a espera de alguém especial.



Muitas vezes sou forçada a me sentir ultrapassada e até burra em desejar um tipo de relacionamento monogâmico e tranquilo. Mas ouçam bem, meus amigos, o meu romantismo não é esse romantismo histórico que alienava as mulheres, ah, não! O meu romantismo se remete ao trabalho duro e diário de uma relação, não há nada subestimado e nem superestimado! Sei que as pessoas, até as mais adoráveis( até eu) podem ser insurportáveis algumas vezes, e que os relacionamentos se desgastam, e que precisaremos de tempos a sós, e que cada um terá a sua luta individual.Sei que em muitas vezes teremos vontade de desistir, e que outras escolhas serão mais fáceis que lutar, mas não vou querer desistir! Pelo menos não quero querer.



Bem, o que percebo é que existem muitas opniões diferentes, assim como os donos destas opiniões. O pulo do gato seria encontrar uma pessoa que compartilhe das nossas opniões


Para quem quiser saber mais sobre as teorias dos macacos, é só entar lá no blog do Júnior:

http://camilojr.blogspot.com/2008/06/o-sexo-em-nossas-veias-o-amor-em-nossa.html

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

A Reunião dos Bruxos


A Reunião dos Bruxos já devia ter começado e Levrita ainda estava em casa procurando alguns ingredientes para serem levados ao local, que era ainda desconhecido para a bruxinha. Haviam lhe dito que a casa da Zezinha ficava no Fim do Mundo, lá no alto, onde a vassouras se quebram. Não seria tão difícil de se achar. Sacolinha pronta e vassoura aquecida, Levrita ,que ainda era uma iniciante no mundo das magias, se dirigiu para o tal Fim do Mundo, e que as boas energias a guiassem!

Depois de duas horas entre o Cabo da Boa Esperança e o Triângulo das Bermudas, Levrita conseguiu avistar ao longe dois pontinhos que foram se aproximando e se tornando reconhecíveis.Eram as também iniciantes bruxinhas Levadinha e Zoraya. O namorado de Zoraya a acompanhava, ele ainda não fazia parte do mundo das bruxas, mas estava prestes a mudar de idéia. Levrita ficou contente e aliviada em perceber que não era a única perdida, quem mandou a Zezinha morar no Fim do Mundo?

Levadinha era uma bruxinha de voz doce e meiga, quem a ouvisse não poderia imaginar o poder que os seus olhos grandes e azuis possuiam! Ela era quase uma Medusa na arte de hipnotizar as pessoas. Zoraya também possuía grandes poderes, seu olhar era enigmático e escondia o seu poder telecinético. O seu namorado, Pitágoras, estava ainda descobrindo as suas habilidades, mas no momento estava mais preocupado em ficar ao lado de Zoraya.




Depois de voarem sem rumo, Levadinha teve em fim a idéia de mandar um sinal de nuvem para a Zezinha.Com os seus grandes olhos azuis fixados no céu fez com que as nuvens se juntassem e fossem comunicar a Zezinha que estavam perdidos. Zezinha recebeu o sinal e logo mandou que o seu filho, o duende Manero fosse indicar-lhes o caminho.



Finalmente chegaram ao local da reunião! Lá já estavam Jacuto e Dinara, os Bruxos mais hilários da turma. Jacuto e Dinara moravam no Quase Fim do Mundo, por isso já conheciam o caminho. Dinara era uma bruxinha insegura, ainda não estava certa de quais eram os seus poderes. Às vezes quebrava algumas coisas, fazia mágicas atrapalhadas, como na vez em que transformou a professora Aldisséia em uma mosca azul em plena aula, mas tudo era devido à sua insegurança. Ela não sabia o poder que tinha. Já o Jacuto era um bruxinho muito dedicado, trabalhava em vários ramos da magia, mas isso nunca lhe tirava o bom humor. Jacuto era um bruxo que queria voar longe!



A Reunião dos bruxos nada mais era que uma oportunidade de todos os amigos colocarem as novidades em dia, conversarem sobre os novos feitiços, novas descobertas e evolução de cada um. Como essa turma era uma turma de jovens e não tão jovens aprendizes, o que acontecia também era muita farra! Zezinha aprontou a poção da alegria, e cada um tomou um gole bem generoso, uns tomaram bem mais que um gole!Depois de comerem o banquete preparado pela anfitriã, os bruxinhos começaram a se soltar: uma cadeira foi parar no quintal, a mesa sumiu, e fizeram surgir um globo no meio do teto! Rolou muita música produzida pelo duende Manero, que era um perito em se fazer mexer os esqueletos.Os bruxinhos dançavam, voavam, faziam chover confetes e serpentinas, e dá-lhe mais poção da alegria!



Os Bruxinhos da escola sempre se vestiam com roupas normais, o que os diferenciavam eram pequenos detalhes, como uma pinta no rosto, o uso de um brilho, os cabelos de duas cores ou sempre encaracolados e até com uma tiara colorida.



Herbíssima era a bruxa mais austera da turma! O seu poder estava em sua voz de trovão, quando ela falava, as paredes tremiam. Alguns bruxos tinham medo dela, mas ela era uma ótima bruxa, sempre disposta a ajudar os amigos. Nesse dia, até ela se soltou e derramou boas lágrimas de emoção.



No fim da reunião, Zoraya e Pitágoras se agarravam em cima da árvore, Dinara, Levrita e Jacuto voavam perto já do terceiro globo, Herbíssima e Zezinha derramavam lágrimas e enchiam as garrafas e Levadinha, vejam só, estava encantada pelos poderes de sedução do duende Manero!Foi uma tarde memorável para aqueles bruxinhos.Eles precisavam daquela tarde, pois o grande dia, da grande prova estava chegando!Era o dia de demonstrarem publicamente o que haviam aprendido na Escola Encantéias de Magia.



Levrita tinha que voltar para a casa. A sua alma estava limpa e a sua cabeça estava cheia de novas idéias.O difícil seria achar o de caminho de volta na escuridão, depois de algumas dose de poção da alegria!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Orkut causa ciúmes!


Depois que inventaram esse tal de Orkut e os brasileiros tomaram conta de suas páginas, surgiu uma nova, mas não menos dolorida forma de cutucar e de ser cutucado. As pessoas ficam tão íntimas e com uma rapidez espantosa! Em um momento, são completos desconhecidos, e em outro, amigos queridíssimos.Nunca foi tão fácil dizer "eu te adoro", "beijos", "gatinho", "lindo", e a expressão que anteriormente era reservarda aos realmente amigos ou algo mais,"eu te amo". É uma intimidade falsa e forçada, mas que está se naturalizando com o decorrer do tempo e está se transformado em linguagem do Orkut. Obviamente que ainda não avisaram para o cérebro e para os corações dos enamorados que isso pode não passar de apenas mais uma função fática de uma nova forma de comunicação...Embora existam também alguns que levam esse poder que a internet lhes proporciona até às últimas consequencias, com o propósito de conquistar ou de irritar outras pessoas. Como eu também sou uma "fuçadora do orkut", capturei na comunidade "Orkut causa ciúmes" alguns comentários deixados em um tópico intitulado: você já brigou por causa do orkut?
Vejam o que alguns orkuteiros responderam (tudo no internetês):


**Ah e qdo ele manda recadinhos para as amiguinhas dele tipo assim "oi linda....te adoro viu.....nunca vou te esquecer....Teve um q foi a gota pra mim quase me deu um infarto qdo vi que no fim do scrap ele colokou assim pra bisk I love you.....Nossa kria matar ele....Só que eu sou fodah pq tbém mando para os meus amigos assim....hehehehe**


varias vezes...jah quase terminamos por causa de um viado q fika manda ndo declaraçoes de amor pra ela e fika enviando letras de musica q ele fez pra ela...aff...eu ainda o matoooO!hehehe


INÚMERAS VEZES; O MOTIVO É SIMPLES...EU SOU A NAMORADA DELE; E QUASE TODOS OS DIAS DEIXO UM SCRAP PARA ELE; PORÉM ELE NUNCA DEIXA SCRAPS PARA MIM... ATÉ SCRAP D "BOM FINAL DE SEMANA" PARA AMIGUINHA PUTINHA DE CURSINHO ELE DEIXA E PARA A NAMORADA DE 2 ANOS E 6 MESES NÃO!!!


É, pois é, ele viu uma conversa minha com uma das minhas amigas,falando que eu tava "trovando" um guri da minha escola e pá!!Mas o "trovar", não era de ficá e pá, era só de fica puxando assunto!! Mas ele entendeu completamente errado, e ficamos uns 3dias sem se falar!!! Aff... sofri a pácas, por causa de um mal entendido!!! Mas agora tá tudo certo!!!!


ja terminamos,depois voltamos,teminamos de novo,rsrrsmas agora ta tudo certo...claro,depois de um monte de "amigos"excluidos...akeles abusados...



Iiii é oqee mais façojaa nem entro no orkut dele pra não me aborrecerPqee me dóii ver as apaixonadinhas por ele se declarandoée uma merdaa PQP...Jaa xinguei metadee das barangas do orkut deleMais elas não se tocam ou fazem mesmo pra me provocar


sim... a gente vive brigando.... infelizmente nem todo mundo tem bom senso.. amizade pode existir mas o respeito tbm... certas coisas são desnecessarias.. não precisa melar muito...


Eu acho que é isso, carinho sim, falta de respeito não, né.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Estrada da vida


O momento é certo.

Corremos pelas vielas e pelas amplas avenidas , às vezes suamos, às vezes nos cansamos, às vezes paramos para olhar a paisagem que nos refresca e nos ajuda a esquecer a dura e longa jornada que ali nos aguarda. Pelos caminhos vão passando algumas pessoas que vendem coisas e nos compram com as suas palavras tão cansadas de seduzir que já não se envergonham disso. Somos obrigados então a nos desfazer de nossos últimos trocados para possuirmos algo de qualidade duvidosa ou apenas para nos vermos livres de tanta explanação vazia.

Avançamos pela estrada em busca de algo que, talvez, encontraremos apenas no fim da caminhada. Não sabemos ao certo do que se trata, mas supomos que seja bom e compensará o árduo trabalho despendido.

Quando temos sorte, encontramos alguém que se disporá a percorrer boa parte desta maratona conosco, um alguém que nos fará rir nos momentos ruins e de cansaço, que enxugará as nossas lágrimas nas noites frias e que não se importará em dividir o seu pedaço de pão.Esse alguém seguirá conosco até que encontremos a encruzilhada, onde nos despedimos e seguimos caminhos distintos.

Os maus companheiros também surgirão, e esses não estarão ao nosso lado, mas do lado oposto. Com a intenção de chegar sempre em primeiro lugar, esse competidor criará as mais diversas armadilhas para nos tirar do caminho e nos atrasar; como em um desenho animado, colocará pedras e galhos de árvores na estrada e até cavará buracos e disfarçará com folhas de bananeira e terra. Mas essas pessoas logo vão procurar competições mais emocionantes e nos deixarão em paz.

Finalmente, depois de muitos tropeços e surpresas, surgirá bem no meio da estrada, um companheiro que seguirá conosco até que a luz se apague e as estrelas parem de iluminar os nossos caminhos. Ele nos carregará no colo caso as nossas pernas já estejam cansadas e cheias de varizes, e nós faremos o mesmo por ele, por que sentiremos que assim deve ser. Ele dará risada conosco e se sentirá feliz quando chegarmos em um bom lugar. Ele não irá querer competir, ele nos aplaudirá!

Espero que quando essa pessoa cruzar meu caminho, eu não a deixe ir! Espero reconhecer os sinais e não espantá-la de minha vida, espero que ela fique ao meu lado, para cruzarmos juntos a linha de chegada.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Eteviana

Glaise estava arrasada, era o terceiro dia depois de ter encontrado o suposto amor de sua vida, porém, ele desapareceu como se nunca tivesse existido.Ela não sente fome, tem insônia e vive suspirando com o olhar para o nada e o tudo, perdido três dias atrás.

_Glaise, por que você não liga para o Vander, você não está com vontade de vê-lo novamente?

Glaise se irritou com a pobre Eteviana, mas a inexperiente alienígena não podia compreender como as coisas aconteciam aqui em nosso planeta, ainda mais em um assunto tão complexo como o do jogo da sedução.

_Pô,Viana, se eu ligar pro cara, ele vai pensar que eu tô de quatro por ele, entedeu?

Coçando as suas anteninhas e com um olhar estranho perguntou:

_O que é ficar de quatro? Não entendi...Quando a pessoa gosta de outra, por que é que ela tem que ficar esperando, por que ela não vai lá e vê o que o outro está sentido e pronto?

_Por que se o cara percebe que você está apaixonada, ele pisa em você, te faz de capacho, não te dá valor, pegou?Você tem que fingir que não está nem aí, fazer charminho.

Arregalou os olhos roxos de uva:

_Credo, eu não sabia que os terráqueos gostavam de sofrer e se apaixonavam por pessoas que os torturam! O amor deve ser terrível!

Apática e aérea:

_Pois é, Viana, mas é assim mesmo...Ele é tão lindo, me falou tantas coisas lindas, parecia que a gente tinha sido feito um para o outro!Ele é carinhoso, inteligente, engraçado, um sonho...

_Pois então, se ele é tão perfeito assim, ele não vai deixar de gostar de você se você for lá e perguntar o que ele realmente está sentido. Vai?

_Mas você não entende que isso acaba com o encanto?Ele pode estar começando a me amar, mas eu não posso dar mole!

_Puxa...Então fica esperando ele te ligar pra falar alguma coisa, assim você não corre riscos.

_Será? Mas e se eu ficar esperando demais e ele pensar que eu não gostei, que eu não estou a fim? E se ele se cansar de esperar e encontar uma outra mais interessante que eu?É, por que , apesar de tudo, estamos em uma nova época, e os homens e as mulheres tem os mesmo direitos e deveres...E se ele estiver esperando a minha ligação também?

Eteviana não soube o que dizer.

_Já sei, Viana, é melhor eu ligar, né, nunca se sabe!

Eteviana saiu do quarto de Glaise para fazer mais um gráfico das reações e realizações humanas.Quem sabe consegue compreender...


quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Diário

Até que nível de pressão um ser humano é capaz de aguentar? Final de ano é sempre uma época muito estressante, muitas festas, muitos compromissos, muitas compras, e muitos planos para o próximo ano, haja coração! Imagine isso tudo somado ao estress diário e acumulado de quem trabalha em uma escola...

Trabalho em uma escola de Ensino Fundamental há quase três meses, mas o nervosismo e cansaço em que vivem todos no local já estão tendo os seus efeitos em mim. Os professores estão loucos para se verem longe dos pestinhas, há pouco tempo para as avaliações e a turma realmente não coopera.O fim de ano em uma escola é sufocante!

Eu sou uma reles agente administrativa que acabou de passar no concurso municipal e foi para aquela escola, afirmou a responsável, para ficar na biblioteca.Como se trata de uma escola situada em um distrito, imaginem só as dificuldades que enfrentamos! Nessa semana faltou um professor de português, e eu tive que, em cima da hora, assumir as aulas dele, sem ao menos ter noção de em que pé andavam as coisas. Sem falar que tenho que ensaiar quatro alunos da quarta série para um teatro que será apresentado no Centro de Convenções, na próxima semana. Todos os cartazes e ilustrações que inventam, são delegados a mim, ainda tenho que auxiliar na secretaria e de vez em quando, ficar na biblioteca. Não nego que adoro desenhar, amo teatro, e as aulas podem me servir futuramente quando eu retomar o curso de Letras, mas o cansaço está visível! Tenho olheiras e o rosto cansado, mal tenho tempo para mim e para os meus filhotes. Não vejo a hora de um ano novo começar!

Quero começar um ano novo de verdade, com cheiro de coisa recém fabricada, como livro que chega na livraria, ou tênis novo.Quero uma vida nova, menos tensa e menos estressada!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Mini-conto

Sarah em "O vestido de noiva"

O dia do casamento


Tudo conspirava contra, o dia estava chuvoso, o vestido parecia que tinha encolhido, o seu irmão que morava em outro estado ainda não havia chegado, mas não eram esses detalhes que a fariam desistir, ah não! Depois de três remarcações, dois acidentes e uma bebedeira, nada a faria descer do podium agora.



A primeira grande decepção aconteceu quando completavam dois anos de namoro: a casa não estava como eles sonhavam que estivesse para a data. Ela concordou, aceitou e até incentivou, afinal, era a casa onde iriam morar por grande parte de suas vidas. O pequeno lar nunca ficaria como nos sonhos, pois se tratava de um "puxadinho" no fundo da casa dos sogros, mas pra iniciar uma vida repleta de amor e altruísmo, segundo imaginavam, servia bem. Os cinco impedimentos seguintes aconteceram intercaladamente por motivos diversos: Morte de um primo distante, fechamento do cartório por motivo de luto, Comida que se estragou na véspera, tombo de moto sofrido pelo noivo e uma bebedeira de seu pai, cujas ações neste dia culminaram com a destruição do bolo de casamento. Depois de passar por isso tudo, não seriam uma falta de ar, uma chuvinha fria e a falta de um irmão qualquer que a fariam desistir.



O nível de stress naquela casa estava altíssimo, a noiva não tinha rosto, tinha uma carranca colada nas fuças. Ela aguardava o pior, pois era o natural para ela. A todo momento gritava com um ou outro, que, compreendendo e se apiedando da pobre sofredora, não se ofendia e não revidava.



Dessa vez, ela tinha tomado conta de tudo sozinha, não queria que nenhum dedo podre viesse urubuzar mais uma vez a sua sorte. Tinha acabado de sair do emprego e recebeu uma boa indenização, que foi gasta integralmente nos detalhes da cerimônia. Dessa vez, tudo seria impecável: A festa se realizaria em um salão de festas, tudo organizado por um Buffet, não haveria riscos de destruição do bolo nem comida estragada; a casinha já estava razoavelmente boa, e com a quantia que raspou do porquinho, terminou o enxoval; proibiu aos familiares que fizessem viagens ou cometessem atos perigosos naquele período. Parecia que dessa vez, ia dar certo!


A hora se aproximava, chamaram o padrinho da noiva para que a levasse até a igreja, pois ele era quem tinha o carro "mais novo". Ela fez o "nome do pai" e subiu no carro, parecia que estava dando certo:_"Hoje eu caso!"



Dentro do carro, naquele vai e vem, com os olhares dos pedestres e das sombrinhas se dirigindo para a noiva, ela pensou: "_Será que hoje eu caso mesmo? " Agora o medo não era o de mais uma vergonha, mas sim, o de realizar a tão esperada cerimônia. "_Será que tudo o que aconteceu não era um sinal de que eu não deveria me casar com esse homem? Será que , depois disso tudo, o casamento ainda vai durar? Será que vou me arrepender? Será que o amo?" Não encontrou resposta e nem quis pensar mais nisso. Hoje era o dia tão esperado!



Quando chegaram até a porta da igreja, a noiva notou um rebuliço anormal e o seu coração bateu mais forte. "_O que foi agora, meu Deus!" Ninguém tinha coragem de se aproximar dela e contar-lhe o motivo da muvuca, todos gesticulavam nervosamente e abanavam a cabeça, e ela ia ficando cada vez mais nervosa, o carro não a cabia mais. Finalmente, o seu pai, que havia descido do carro para saber do caso, voltou para lhe esclarecer as dúvidas:_" O noivo ainda não chegou !"_Isso para a pobre moça foi como uma estaca no coração do vampiro:_"Ele vai ter que vir, por bem ou por mal! Se não, eu quero o meu dinheiro todo de volta!"_O pai entrou no carro e o padrinho saiu cantando o pneu direto pra casa do noivo._"Toca o carro, padrinho, toca o carro que aquele desgraçado, hoje, me paga! O que ele está pensando! Gastei o meu dinheiro todo nessa porra desse casamento, e ele não me aparece na igreja! Só faz me enrolar há sete anos? Tomar no cu!"_Todos dentro do carro se apavoraram com a atitude da bela noiva, mas a compreederam perfeitamente,e, embora não demonstrassem abertamente, davam o maior apoio.



Grrrrrrrrrrrrrrr!O carro estacionou na calçada da casa dos pais do noivo, onde ficava também a futura casa dos pombinhos. A noiva entrou como um furacão pela sala e já foi logo perguntando: _"Cadê o João Luíz?" _ A sogra ficou alarmada e tentou acalmar a noiva, perguntando o motivo de tanta agitação. A futura cunhada apareceu na porta, fez uma cara de espanto ao ver a noiva, como se tivesse algo sério a esconder. Como perceberam que a noiva precisava saber da verdade, o sogro finalmente abriu a boca:_"O João Luíz não quer casar!"_Nossa, os olhos da mulher pareciam ter se incendiado naquele momento, as fagulhas se estalavam em suas órbitas. A cunhada correu para o quarto e a sogra colocou as duas mãos na cabeça, enquanto a pobre escancarava a sua boca e corria em direção ao quarto do noivo.



_João Luíz, seu filho de uma égua, cê vai me dar o meu dinheiro e é agora, seu desgraçado!Eu gastei todo o meu dinheiro que recebi da firma e você me faz uma sacanagem dessas? Isso eu não vou aceitar não, quero tudo e quero agora!


Quando ela olhou pro homem, deitado na cama, claramente bêbado até a alma, teve o ódio das mães que tem o seu filho morto. Aquele homem dava pena e nojo, estava com o olhar choroso, meio vestido meio pelado, uma triste figura. Depois que a moça esbravejou até não querer mais, falou do seu dinheiro, dos seus gastos, dos casamentos não realizados, ela se lembrou de perguntar:



_Uai, João Luiz, afinal de contas, por que é que você não quer se casar mais?



O homem, com a voz trêmula e fanhosa típica dos bebuns, respondeu:



_O seu irmão não trouxe o sapato pra mim...



Depois dessa, apareceu um sapato "muito do ridículo" para o noivo, e o casamento se realizou, não como nos sonhos, mas como era esperado.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Eteviana

A noite era branca e o frio sussurrava em suas antenas, mas não havia ocasião melhor para explorar aquele novo ritual tão estranho para os padrões alienígenas. Eteviana não se importou com os olhares curiosos e os comentários causados por sua estranha cor de pele e por suas pequenas antenas, que mais pareciam dois amendoins em cima da cabeça.Vestiu-se como uma genuína terráquea, mesmo o frio estando inteso: minissaia bem justa, blusinha tomara-que-caia Muito perfume, balangandans e salto alto. Seguindo os conselhos de sua anfitriã, pintou as unhas, colocou um baton bem forte e esfoaçou os cabelos.

_Glaise, eu não entendo, se a gente vai sair pra dançar, por que é que eu tenho que usar esses sapatos com os quais eu mal posso me equilibrar, e essa roupa que tira o meu fôlego?

Glaise era uma ótima anfitriã, e queria que Eteviana se integrasse totalmente ao estilo de vida terrestre:

_Eteviana, Nós não vamos só sair pra dançar, nós vamos sair pra arrassar! Temos que chamar a atenção dos gatinhos, marcar a nossa presença! Dançar é só um detalhe.

_Por que a gente tem que marcar a nossa presença? O que a gente ganha com isso?

_O que a gente ganha?Uai, cê não sabe o que a gente ganha? Ora, Eteviana, a gente ganha popularidade, ganha gatinhos, fica sendo invejada pelas garotas.

_Ah, entendi...Mas os gatinhos gostam de garotas com falta de ar e que andam desiquilibradamente? E por que a gente quer que as garotas nos invejem, isso é bom?

_Não, Eteviana, os caras gostam de mulher sexy, entendeu? E quanto às garotas...Ah, esquece isso!

_Ahhhhh, tá. Mas se a gente quer sair pra se divertir e encontrar um "gatinho", não seria melhor ser como a gente é na maioria das vezes, e ficar mais relaxada e à vontade?

_Pô, Eteviana, cê tá por fora! A gente só quer zoar, se divertir, curtir a vida! Cê tem muito o que aprender...

domingo, 16 de novembro de 2008

Ser livre


Quem mede os nossos méritos? O vestibular? A prova dos concursos públicos?
A nossa família? Os nossos amigos? Os nossos filhos? Os nossos amantes? Quem está apto a nos julgar? Nós mesmos?

Infelizmente e tristemente digo, que necessito desesperadamente da aprovação alheia, e que sem ela, não tenho paz. Às vezes considero o meu julgador incapaz de dirigir a sua própria vida e incapaz de tomar uma decisão coerente, mas ainda assim, necessito de seu aval.Necessito de que me dê um sorriso orgulhoso significando: "muito bem, fez certo!"Necessito de que o universo esteja em harmonia com os meus anseios.

Apesar dessa necessidade de estar em concordância com o universo, e além dela, me vem a vontade de estar de acordo apenas com os meus anseios e os meus princípios.Não quero que me governem, não quero que me julguem, não quero que saibam de minhas decisões.Mas caso venham a saber, que a considerem sensata! Ou ao menos, a considerem como uma possível decisão acertada, visto que,de certo, nada sabemos.

Quero entrar e sair sem que me perguntem ou me olhem dizendo algo com os sorrisos maliciosos.Quero poder ser dona de minhas vontades, sem que isso me leve à fogueira moderna da indiferença.Quero ser livre para sentir tudo o que eu tenho direito, tudo para o que fui preparada por Deus para sentir!

Porém, não me deixem cair na vulgaridade do comum! O vazio da efemeridade, não quero a nulidade da existência, quero essência! Quero ser livre para ser responsável pela minha vida! Preciso ser quem sou, seja o que for.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Viola de Folia

Cinco homens aguardavam o momento da apresentação, enquanto a bela e bem vestida moça convidava os homenageados para subirem até o palco e receberem a singela peça feita em pedra sabão. A homenagem era simples, mas nem por isso, sem valor. Pena foi que muitos dos homenageados não pensaram da mesma forma, e sequer enviaram um representante para fazer parte do evento. Pensando bem, o azar foi deles, pois perderam uma noite muito agradável e memorável!

Notava-se que os homens eram genuínos representantes da cultura que ali expunham, uma cultura que fala da gente do povo, da fé, da festa, do trabalho duro, das cantigas, dos causos e lendas. Quem os via de longe, não fosse pela ornamentação de suas vestes, não poderia dizer que dentro de pouco tempo, aqueles mesmos homens, fariam uma demonstração tão bela!Aquelas personagens, vestidas por camisas brancas, calças estampadas e chapéus enfeitados por fitas, estavam prestes a espantar as nossas pestes!

Tudo teve início com a apresentação do coral do Grupo Renascer, convidado especial para homenagear os aniversariantes. Depois das falas, das agraciações e da breve história contada pela moça, os homens começaram a festa!O tambor contagiante começou a tocar, o teatro se encheu da mais pura alegria!O que se seguiu dali pra frente, foram momentos de muita alegria e emoção, proporcionados por cantigas festivas e de fé. Não era preciso ser um amante da viola ou das tradições mineiras para se sentir contagiado pelo som dos cinco homens, a vontade que se tinha era de sair batendo palminhas e os pezinhos no chão! O choro da rabeca, a sinfonia da sanfona, a sofisticação da percussão, tudo estava lindo!Logo se viu que esses dez anos não foram em vão!

Muitas pedras rolaram, muitas dores, muitos sofrimentos, muita injustiça, mas também muita festa, muitas alegrias e vitórias. Apesar das tantas realizações, o VIOLA é apenas uma criança que, se Deus quiser, irá crescer forte, saudável, alegre e com muito sucesso, pois sem dúvida, ele merece!

Ao grupo Viola de Folia, os meus sinceros parabéns!

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Mr. Bad Guy


Por que devemos ser pessoas boazinhas e bem comportadas?Em nossos cérebros ainda virgens são inseridos comandos de convívio em sociedade, lá são construídos vários atalhos que são utilizados quando precisamos tomar decisões simples e cotidianas, e também grandes decisões, que mereceriam muita análise.NÃO!Não gostam de nos ensinar a refletir e tomar dicisões ousadas, não é "legal".Devemos seguir o que nos dizem ser apropriado, para não nos envergonhamos e não os envergonhar.

Por que os alunos devem obedecer aos professores e escrever na prova tudo o que eles dizem e escrevem durante as aulas, mesmo quando o nosso nível de conhecimento sobre o assunto é superior ao deles?Mesmo estando certos, devemos fingir que concordamos com o que a anta disse, sob pena de levar zero e fama de burro.

Por que devemos ser "educados" em um local sofisticado e não comer quando temos fome e nem aceitar um bis?

Por que devemos fingir que não estamos interessados em alguém, quando obviamente estamos?

Por que as mulheres não podem demonstrar que sentem desejo e querem transar?É verdade, mulher também quer isso, e daí?É feio?Não é de bom tom? Pega mal?

Por que teimamos em obrigar as crianças a irem aos cultos religiosos e ainda por cima, ficarem quietas e apreciarem todo aquele falatório, se nem nós mesmos suportamos?

Besteira! Se somos autênticos e transparentes, somos mal educados, desagradáveis, perigosos.Toda essa estrutura hierárquica que nos rege me dá nos nervos!Por que as pessoas não podem falar de igual pra igual, mesmo estando em níveis sociais diferentes? Por que não podemos falar "ocêis foro nu baile?"

Besteira!

Nós somos gente, e gente é gente.Respeitemos as diferenças culturais, sociais e de credo, mas sejamos sinceros e transparentes! Respeito sim, frescura não!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Uma prostituta chamada Ouro Preto


Essa experiente e charmosa senhora que vive de braços e pernas abertos, sempre acolhe a todos que desejem se deleitar com os seus atributos alucinógenos.A sua história é longa, ela é "rodada" e já deu muito o que falar. Alguns têm apenas a intenção didática do apreciar, sugam apenas o néctar mais singelo, mais artístico e sublime.Outros (a maioria), não querem saber de seu passado, de suas cicatrizes, nem o seu nome querem conhecer; A intenção desses é a de apenas usar as suas sinuosas curvas em nome do prazer sem censuras, se limitam a seus becos escuros.

Ela oferece muitas festas, internacionalmente conhecidas!O carnaval é uma das maiores, mas a pobre só se vende para a multidão que vem urinar em suas tristes e frias entradas...A multidão não se importa se ela sofre, chora, se tem fome.A multidão só quer a orgia!

Ela teima em oferecer a sua hospitalidade, oferece eventos culturais, abre espaço para as artes.Mas os artistas não se mostram contrários ao que defendem?A liberdade que desfrutam com ela é tão grande, que se esquecem do respeito que devem a ela e aos que a acompanham nessa longa jornada. A estes nada sobra, penas o lixo do dia seguinte para ser removido.

Coitada da puta, com os seus olhos cheios de lágrimas e suas ancas arqueadas...Os seus filhos sofrem com o tráfego e com o tráfico, eles sentem fome, mas são os forasteiros que comem.

Querida Ouro Preto,

Ainda há tempo apesar de sua idade...Espere, Ouro Preto, lembre-se do que disse um de seus mais ilustres filhos:
"Libertade, ainda que tardia!"

Acho que foi isso mesmo...Será?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...